Descrição de chapéu Coronavírus

Europa aprova vacina anti-Covid da Janssen, que precisa de apenas uma dose

Imunizante é o quarto a receber sinal verde do regulador europeu; fornecimento, porém, deve demorar ao menos um mês

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Bruxelas

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) recomendou nesta quinta (11) a aprovação da vacina contra Covid-19 fabricada pela Janssen (braço farmacêutico da Johnson & Johnson). Segundo o órgão, o imunizante é seguro e eficaz para adultos a partir de 18 anos.

Quarta vacina a receber a aprovação da EMA —depois de Pfizer/BioNTech, Moderna e Oxford/AstraZeneca—, a da Janssen tem sobre as outras a vantagem de oferecer proteção com apenas uma dose.

Sua administração também é mais fácil e barata porque ela pode ser conservada em temperaturas de refrigeradores comuns —produtos como os da Pfizer e da Moderna exigem supercongeladores.

O imunizante apresentou eficácia de 72% nos testes e foi aprovado no final de fevereiro pela agência regulatória americana.

No Brasil, o presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta quarta (10) um projeto de lei que possibilita sua compra pelo governo federal. A Janssen ainda não entrou com pedido de uso emergencial nem de registro na agência regulatória brasileira (Anvisa), de acordo com tabela atualizada no final da semana passada , mas a aprovação pelos reguladores americano e europeu pode acelerar esse processo.

Na Europa, a expectativa é que a Comissão Europeia (Poder Executivo da UE) autorize seu uso após a recomendação da EMA. O bloco europeu contratou 200 milhões de doses da vacina e tem opção de compra de outros 200 milhões, mas não deve receber remessas antes de abril.

Até agora, a UE recebeu no total 55,6 milhões de doses das vacinas já aprovadas, número que a Comissão espera elevar a 100 milhões no próximo mês, numa tentativa de reverter problemas de fornecimento que atrasaram suas campanhas de imunização.

A AstraZeneca entregou apenas 10% do que havia prometido, e vários países do bloco limitaram inicialmente sua aplicação por considerar que faltavam dados sobre seu efeito em idosos.

Nos últimos dois dias, Dinamarca, Áustria, Estônia, Lituânia, Letônia e Luxemburgo suspenderam temporariamente o uso das vacinas da AstraZeneca para investigar efeitos colaterais.

Moderna e Pfizer também cortaram as remessas contratadas pela UE, mas a primeira afirma que cumprirá a entrega de 10 milhões de doses até o fim deste mês e a segunda anunciou que vai antecipar o fornecimento de 9 milhões de doses.

No total, a UE espera receber até o fim do semestre 570 milhões de doses: 300 milhões da Pfizer, 35 milhões da Moderna, 180 milhões da AstraZeneca e 55 milhões da Janssen.

A Comissão também fez acordos com a Curevax e a Novavax—cujas vacinas estão no momento em processo de revisão contínua pela EMA— e co m a Valneva e a Sanofi.

A EMA também está avaliando em revisão contínua a vacina russa Sputnik V.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.