Descrição de chapéu Coronavírus

Gargalo na vacinação vai aumentar; consulte total de idosos em sua cidade por faixa etária

Em alguns locais, doses recebidas estão muito aquém da população visada

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Engarrafamento quilométrico na BR 040, provoca caos no trânsito próximo a Xerém, na fila sem fim para vacinação drive thru, em Duque de Caxias. Na foto, fila imensa de idosos pra vacinar na Praça de Vila Canaan, em Caxias.

Fila para vacinação drive-thru em Duque de Caxias (RJ) se mistura com idosos a pé que aguardam o imunizante Fabiano Rocha/Agência O Globo

São Paulo

As filas quilométricas de carros e pessoas acima de 60 anos à espera de vacinação nesta sexta (5) em Duque de Caxias (RJ) explicitam o gargalo que o Brasil enfrentará agora por causa da falta de planejamento do governo Jair Bolsonaro na compra dos imunizantes contra a Covid-19.

Após vacinar idosos acima de 80 anos, a cidade fluminense decidiu chamar de uma vez pessoas com mais de 60. Na primeira leva, havia cerca de 12,5 mil pessoas a serem imunizadas.

Agora, são cerca de 100 mil dos 924 mil habitantes da cidade. Mas, de acordo com a prefeitura, há apenas mais 6.100 doses para serem aplicadas, segundo o prefeito disse à TV Globo.

Mesmo que a vacinação seja feita de forma mais escalonada, como vem fazendo o estado de São Paulo —na quarta (3) passou a vacinar idosos entre 77 e 79 anos após chamar os acima de 80—, a demanda por imunizantes ficará cada vez mais aguda.

Na cidade de São Paulo, por exemplo, os idosos com mais de 80 são apenas 2,1% da população. A taxa cresce para 3,8% para aqueles entre 70 e 79 anos de idade e dobra, para 7,6%, para os que têm entre 60 e 69 anos.

Ou seja, quando cumprir a vacinação dos acima de 70 anos, São Paulo terá imunizado cerca de 725,7 mil pessoas. Já aqueles entre 60 e 69 anos serão mais de 934 mil.

O percentual de pessoas em cada faixa etária em sua cidade pode ser conferido na ferramenta abaixo, desenvolvida pela Folha com dados da FGV Social (aguarde alguns segundos caso ela não apareça):

Para o número absoluto de habitantes na sua faixa de idade, basta multiplicar a população da cidade pelo percentual da coluna de sua faixa etária e dividir por 100.

Com o Brasil em rápido processo de envelhecimento, o total de pessoas com mais de 65 anos aumentou 20% nos últimos oito anos, para cerca de 22 milhões, mais que a população do Chile.

Hoje, 10,5% dos brasileiros estão acima dessa faixa, mas eles superam os 14% em cidades como Porto Alegre, Rio de Janeiro e Santos —e ficam abaixo da média em algumas capitais do Nordeste, como Salvador e Recife.

Há menos idosos (acima dos 65 anos) nas regiões Norte (7,9%), Centro-Oeste (8,7%) e Nordeste (10%). Sul e Sudeste têm cerca de 11,5%.

No geral, os idosos brasileiros são proporcionalmente mais ricos e das classes A/B e C, um quinto deles são chefes de família, vivem em maior número nas regiões Sul e Sudeste e habitam relativamente menos as periferias e favelas.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.