Campeã da Copa feminina, seleção dos EUA terá festa em Nova York

Equipe será recebida com parada em Manhattan na quarta-feira

Nova York | The New York Times

Multidões tomando a Broadway. Fanfarras marchando com bandeiras dos Estados Unidos. Uma chuva de papel picado encobrindo a parada mais abaixo. 

Por mais de 100 anos, muitos acontecimentos foram celebrados em Manhattan com paradas e chuvas de papel picado, da inauguração da ponte de Brooklyn, ao retorno dos astronautas da missão Apollo 11 e numerosos títulos do New York Yankees na World Series do beisebol.

A próxima homenageada será a seleção de futebol feminino dos Estados Unidos, que conquistou seu quarto título de Copa do Mundo no domingo, vencendo a Holanda por 2 a 0. A seleção será recebida com uma parada e chuva de papel picado na quarta-feira, de acordo com o gabinete do prefeito Bill de Blasio.

Jogadoras dos Estados Unidos festejam a conquista da Copa do Mundo feminina e Lyon
Jogadoras dos Estados Unidos festejam a conquista da Copa do Mundo feminina e Lyon - Philippe Desmazes/AFP

A seleção que ganhou a Copa do Mundo de futebol feminino de 2015 foi a única outra a ser homenageada em uma parada como essa.

"Estamos incrivelmente empolgados e honrados por celebrar a vitória da seleção nacional de futebol feminino na Copa do Mundo em companhia do maravilhoso povo de Nova York", disse Carlos Cordeiro, presidente da Federação de Futebol dos Estados Unidos. "Essa é uma seleção verdadeiramente especial, assim como o apoio dos torcedores a ela a cada passo do caminho para a conquista de uma quarta estrela".

A parada da quarta-feira deve começar às 9h30min e seguir o percurso do Canyon of Heroes, o trecho da Broadway entre o Battery Park e a prefeitura, disse o prefeito.

"Em campo e fora dele, essa seleção representa o que há de melhor em Nova York e em nosso país", declarou Blasio. "A confiança, garra e perseverança da seleção de futebol feminino dos Estados Unidos servem como inspiração a todos que a assistem".

A chuva de papel picado costumeira nas paradas nova-iorquinas surgiu com as fitas telegráficas de 2,5 centímetros de largura usadas nas máquinas que transmitiam os preços das ações. As máquinas de cotações de ações começaram a ser instaladas nos arranha-céus que proliferavam pela parte sul de Manhattan, hoje o distrito financeiro, no final do século 19.

Nas décadas que se seguiram, paradas com chuvas de papel picado foram realizadas para receber os soldados de retorno da Primeira Guerra Mundial e da Guerra da Coreia, em recepções a chefes de Estado, campeões olímpicos célebres e ao aviador Charles Lindbergh por completar o primeiro voo solo através do Atlântico. Na década de 1950, havia semanas em que aconteciam até três dessas paradas.

Mas as janelas dos arranha-céus modernos não abrem, e as máquinas de cotações de ações foram substituídas por computadores, o que complicou a logística das paradas. Os espectadores começaram a jogar formulários de computador, papel higiênico e, ocasionalmente, o conteúdo das latas de lixo dos escritórios, no lugar das fitas de papel tradicionais.

Em 1984, o governo municipal distribuiu 145 sacos de tiras de papel de 120 litros e outros restos de papel a 40 edifícios, para garantir que houvesse papel picado suficiente para a parada da equipe olímpica americana.

Entre o confete e os custos de limpeza, as paradas podem ser caras. O governo Blasio estima que a parada celebrando a vitória da seleção americana na Copa do Mundo de 2015 tenha custado quase US$ 1,5 milhão (R$ 5,7 milhões) ao governo municipal; patrocinadores do setor privado forneceram mais US$ 450 mil em verbas (R$ 1,7 milhão).

Mas Blasio concordou em romper a norma que ditava que paradas com chuva de papel picado só seriam realizadas em Nova York para celebrar títulos dos times da cidade, porque o apoio público à ideia foi muito grande.

Milhares de pessoas assistiram à parada de 2015, com Blasio desfilando em carro alegórico com jogadoras que incluíam Megan Rapinoe e Carli Lloyd, que fez três gols na final da Copa de 2015.

"Todas nós acreditamos sempre, e vocês deveriam fazer o mesmo, pessoal", disse Abby Wambach, uma das melhores atacantes da equipe, na culminação da parada na prefeitura. "Nós te amamos, Nova York".

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.