Entenda crise entre NBA e China causada por tuíte de dirigente

Apoio de cartola do Houston Rockets a Hong Kong afeta relação comercial da liga

São Paulo

Uma única postagem na rede social Twitter foi o suficiente para que a NBA e a China entrassem em um conflito de grandes proporções e que pode causar prejuízos econômicos severos à maior liga de basquete do mundo.

A manifestação de um dirigente do Houston Rockets em apoio às manifestações em Hong Kong, que vive tensão diplomática com a China, desencadeou uma série de anúncios que impactam ações da NBA no mercado chinês, o maior da liga fora dos Estados Unidos.

Entenda o caso que estremeceu a relação entre as duas partes:

Logo da NBA e bandeira chinesa em complexo da liga na cidade de Tianjin
Logo da NBA e bandeira chinesa em complexo da liga na cidade de Tianjin - Jason Lee/Reuters

Por que a crise estourou? Daryl Morey, gerente-geral do Houston Rockets, publicou em seu Twitter na última sexta-feira (4) uma mensagem que dizia: "Lute pela Liberdade. Fique com Hong Kong". A mensagem, apagada no mesmo dia, repercutiu de forma muito negativa no mercado chinês.

Isso porque a China vive desde junho deste ano momento tenso na relação com Hong Kong, depois que o governo da chefe-executiva honconguesa, Carrie Lam, apresentou projeto de lei para alterar as regras de extradição, o que abriu a possibilidade para que cidadãos fossem enviados à China para julgamento.

Milhares de pessoas passaram a ocupar as ruas de Hong Kong desde então, protestando não só contra o projeto de lei, mas também contra o domínio chinês sobre o território. Ex-colônia britânica, a região passou ao controle das autoridades chinesas em 1997, ainda que com outro sistema de governo.

Qual foi a reação do dirigente do Houston Rockets? Daryl Morey se desculpou no domingo (6) em uma mensagem publicada também em seu Twitter: "Não foi minha intenção ofender fãs dos Rockets e amigos meus na China. Sempre agradeci o suporte significativo de nossos fãs e patrocinadores chineses e espero que aqueles que se sentiram ofendidos saibam que ofendê-los não foi a minha intenção. Os tuítes são meus e de forma alguma representam os Rockets ou a NBA".

Protesto de chineses contra Daryl Morey em Xangai
Protesto de chineses contra Daryl Morey em Xangai - AFP

Como a NBA se posicionou? Na segunda-feira (7), o comissário da NBA, Adam Silver, concedeu uma entrevista coletiva em Tóquio, onde o Houston Rockets disputou um amistoso de pré-temporada, e defendeu a liberdade de expressão.

“Daryl Morey, como gerente-geral do Houston Rockets, goza desse direito como um de nossos empregados. Eu entendo que sua liberdade de expressão gera consequências, e nós teremos de lidar com essas consequências”, disse Silver.

Na terça-feira (8), ele voltou a se pronunciar por meio de um comunicado oficial. "Não pediremos desculpas pelo fato de Daryl ter usado seu direito à liberdade de expressão. É inevitável que as pessoas ao redor do mundo terão diferentes pontos de vista sobre temas distintos. Não é papel da NBA julgar esses temas. A NBA não se permite regulamentar o que jogadores, empregados e donos de times digam ou deixem de dizer a respeito desses assuntos", afirmou o comissário.

Principal estrela da franquia de Houston, o ala James Harden se desculpou pelo tuíte do gerente-geral da equipe. "Nós pedimos desculpas. Vocês sabem, nós amamos a China, adoramos jogar lá", publicou o astro em sua conta no Twitter.

Qual é o tamanho do mercado chinês para a NBA? Aproximadamente 300 milhões de pessoas praticam basquete na China, número que coloca o esporte como um dos mais populares do país. A relação com a NBA é ainda mais forte. Estima-se que cerca de 500 milhões de chineses consumam conteúdos da NBA relacionados à transmissão de jogos.

A NBA atua na China desde 1992, quando abriu na região seu primeiro escritório, justamente em Hong Kong. Em 2008, a entidade fundou a NBA China, braço responsável pela gestão dos negócios da liga no país. De acordo com a Forbes, a empresa vale pouco mais de 4 bilhões de dólares (cerca de R$ 16,4 bilhões).

Desde 2004, 27 jogos de pré-temporada da liga tiveram como sede a China. De acordo com a Bloomberg, a NBA reúne engajamento online superior às três maiores ligas de futebol do mundo juntas (inglesa, espanhola e alemã).

Fãs de LeBron James e Kobe Bryant vestem camisas personalizadas durante jogo entre Los Angeles Lakers e Brooklyn Nets em Xangai
Fãs de LeBron James e Kobe Bryant vestem camisa personalizada durante jogo entre Los Angeles Lakers e Brooklyn Nets em Xangai - Xihao Jiang/Reuters

Quais foram as consequências imediatas na relação comercial entre as partes? Após as declarações de Adam Silver, a emissora estatal chinesa CCTV, com quem a NBA mantinha relação de três décadas para a exibição da liga, anunciou a suspensão da transmissão dos jogos do Houston Rockets e também de outros amistosos que estão sendo disputados na China.

Entre eles, o duelo Los Angeles Lakers x Brooklyn Nets, equipe que tem como dono o taiwanês Joe Tsai, cofundador da gigante chinesa de e-commerce Alibaba.

A empresa de internet Tencent, que transmite as partidas da NBA por streaming para milhões de fãs na China, também suspendeu todas as suas transmissões dos jogos do Houston Rockets e ofereceu, inclusive, compensações financeiras aos assinantes de pacotes que incluíam as partidas do time.

Tencent e NBA fecharam recentemente um acordo de renovação para a temporada 2024/2025 por 1,5 bilhão de dólares (pouco mais de R$ 6 bilhões). 

Segundo a agência de notícias Reuters, as marcas Li-Ning (material esportivo) e SPD Bank (banco) cancelaram seus acordos com o Houston Rockets. Outras empresas do país que mantinham relação comercial com a NBA anunciaram cancelamentos, incluindo marcas de cosméticos, redes de cafés, companhias de aluguel de carros e outros setores.

O impacto do caso chegou até a eventos de caridade. A NBA Cares, programa social da entidade, cancelou ao menos dois eventos em território chinês em razão da repercussão gerada pelo tuíte de Daryl Morey. Em um deles, que teria a visita do Brooklyn Nets a um centro educacional de Xangai, o cancelamento partiu do governo chinês.

Yao Ming assiste a jogo da China durante a última Copa do Mundo de Basquete
Yao Ming assiste a jogo da China durante a última Copa do Mundo de Basquete - 4.set.19/AFP

Por que o Houston Rockets é tão importante na China? Escolhido como primeira escolha do draft em 2002 pelo time de Houston, o pivô chinês Yao Ming, de 2,29 m, se tornou um dos melhores jogadores da liga durante seus anos na NBA. Atuou em nove temporadas, aposentando-se em 2011 com médias de 19 pontos e 9.2 rebotes por partida, além de 1.9 bloqueio.

Seu impacto no esporte americano transformou o basquete em sensação na China. Por consequência, fez com que o Houston Rockets virasse o time preferido dos chineses.

Yao Ming decepcionou-se com a manifestação do cartola Daryl Morey na última semana. O  ex-pivô é presidente da Federação Chinesa de Basquete, que comunicou o corte de relações com a equipe. A federação também cancelou dois jogos da G League, a liga de desenvolvimento da NBA, envolvendo as equipes filiadas ao Houston Rockets e ao Dallas Mavericks.

Erramos: o texto foi alterado

Diferentemente do publicado anteriormente, 1,5 bilhão de dólares corresponde a cerca de R$ 6 bilhões, e não R$ 6 milhões. O texto já foi corrigido.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.