Descrição de chapéu
Velocidade GP Brasil 2019

Leclerc supera luto por amigo e mostra ser imune a pressões

Piloto monegasco de apenas 22 anos é destaque da atual temporada da F-1

Lucas Vinois
Mônaco

A pergunta não é se ele um dia será campeão mundial, mas sim quando ele será campeão mundial. A realidade é que Charles Leclerc, 22, pertence a uma classe diferente de pilotos, aqueles capazes de buscar recordes e de conduzir o esporte a alguns lugares onde você não esperaria vê-lo.

Não foi por acaso que a Ferrari decidiu apostar no jovem que correu em 2018 pela Sauber.

Em março deste ano, ao participar do GP da Austrália, em Melbourne, o monegasco se tornou o segundo piloto mais jovem a competir na F-1 pela Ferrari (com 21 anos, cinco meses e um dia de idade), abaixo apenas de Ricardo Rodriguez, que estreou em Monza, em 1961, aos 19 anos, seis meses e 24 dias. Uma época completamente diferente.

O piloto monegasco Charles Leclerc, da Ferrari, celebra sua vitória no GP de Monza, na Itália
O piloto monegasco Charles Leclerc, da Ferrari, celebra sua vitória no GP de Monza, na Itália - Massimo Pinca - 8.set.2019/Reuters

Na F-1 moderna, Leclerc é o piloto mais jovem a competir pela equipe até o momento. 

Sua ascensão vem sendo meteórica. Ele foi campeão da GP3 e da Fórmula 2 em anos consecutivos (2016 e 2017).

Conquistou duas vitórias em seu segundo ano de F-1. Na primeira delas, em 1º de setembro, na Bélgica, Anthoine Hubert, seu amigo de infância, havia morrido um dia antes, depois de uma grande colisão na prova de Fórmula 2. Mas Leclerc deixou transparecer de novo que é feito de um metal diferente. Erro nenhum durante toda a corrida. 

No GP seguinte, em Monza, o contexto era muito diferente, mas a pressão era igualmente alta. Pilotar a Ferrari na Itália é uma experiência quase impossível de acreditar, até que a pessoa a experimenta.

A equipe não vencia em casa desde Fernando Alonso, em 2010. Ele ficou com a pole position e resistiu por quase todas as 53 voltas aos ataques de Lewis Hamilton. Leclerc mostrou que estava preparado para abrir caminho na raça e correr com firmeza.

Foi assim no GP da Áustria, quando Max Verstappen o ultrapassou nas voltas finais, em um dia em que seu desempenho foi excelente. Perdeu a corrida, mas aprendeu muito.

É dessa forma que ele está se construindo como piloto, desde a infância. O insucesso não é problema, desde que você aprenda com a situação. O número 16 é como um “nerd” da F-1, nas palavras de seu empresário, Morgan Caron. Se algo sai errado no treino livre de sexta, o monegasco fica na pista até o momento em que ele e a equipe compreendem o que houve com o carro.

Rápido, imune à pressão, trabalhador determinado e inteligente, Leclerc é uma combinação de todas as qualidades que um piloto precisa para ser campeão mundial.

O jovem está no caminho certo e podemos ter certeza de que manterá o foco. Por Jules Bianchi [seu mentor e amigo, morto em 2015], Anthoine Hubert, seu pai, sua avó e todas as pessoas que morreram tragicamente enquanto ele se preparava.

Leclerc nasceu para ser campeão mundial. Nada e ninguém o impedirá de atingir esse ápice. Quando? As apostas estão abertas.

Lucas Vinois, 25, é francês, repórter e comentarista de F-1 da RMC Sport - Radio Monte Carlo / Tradução de Paulo Migliacci

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.