Descrição de chapéu Copa do Brasil

Palmeiras vence o Grêmio e conquista tetra da Copa do Brasil

Com o título no Allianz, clube encerra temporada desgastante com sua terceira taça

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Uma grande felicidade, mas acompanhada de uma sensação de alívio. O palmeirense, porém, sabe ser melhor o alívio que acompanha a glória do que um último suspiro que apenas tem como finalidade encerrar o sofrimento.

Após 79 jogos de uma temporada extremamente desgastante, o Palmeiras venceu o Grêmio neste domingo (7) por 2 a 0, no Allianz Parque, e comemorou mais um título de 2020 com a conquista da Copa do Brasil.

O triunfo na capital paulista se somou à vantagem de 1 a 0 construída em Porto Alegre, há uma semana, resultado que deixou bem encaminhada a taça da competição nacional. É o quarto título do torneio para o clube, que também foi campeão em 1998, 2012 e 2015

Ao comemorarem em suas casas por conta da pandemia –alguns foram às ruas se aglomerar, como em alguns pontos próximos ao Allianz–, os torcedores alviverdes só lamentam não poderem ter acompanhado de perto uma temporada tão vitoriosa, que além da Copa do Brasil, teve também o Campeonato Paulista (conquistado sobre o rival Corinthians) e o troféu mais aguardado e especial de todos, a Copa Libertadores, diante do Santos, no Maracanã.

A partir desta segunda-feira (8), ainda na ressaca de todos os sucessos do Palmeiras no último ano, o técnico Abel Ferreira poderá, enfim, pensar em 2021. O português, seus jogadores e a torcida palmeirense têm motivos para, um pouco mais descansados, pensarem na temporada seguinte como a continuação de um presente muito vitorioso.

Neste domingo, com a escalação de Thaciano no lugar de Jean Pyerre, Renato buscou dar mais dinamismo ao Grêmio, que precisava descontar a vantagem construída pelo Palmeiras em Porto Alegre.

Logo aos 2 minutos, os gaúchos tiveram ótima oportunidade de abrir o placar, com Pepê, mas o atacante não conseguiu desviar o cruzamento rasteiro que veio da direita. Alisson, de fora da área, e Diego Souza, de cabeça, criaram chances para os visitantes, mas que não levaram muito perigo ao gol de Weverton.

Passado o ímpeto inicial dos gremistas, o Palmeiras conseguiu controlar a partida ao tomar posse da bola.

A circulação de passes alviverdes abriu espaços na defesa do Grêmio, especialmente entre os volantes e zagueiros tricolores. Em contra-ataque, Rony teve boa oportunidade de abrir o placar, mas demorou para chutar e permitiu a chegada de Paulo Miranda, que travou a batida do atacante palmeirense.

O time de Abel Ferreira chegou a abrir o placar, com Raphael Veiga, mas o bandeira viu posição de impedimento de Rony, que estava à frente quando recebeu lançamento de Felipe Melo. Gol bem anulado e marcação confirmada pelo VAR.

No início da etapa final, o Grêmio buscou novamente pressionar o Palmeiras. Em um desses ataques, contudo, voltou a oferecer espaços, e os alviverdes não perdoaram.

Aos 7 minutos, Raphael Veiga iniciou contra-ataque ainda no campo de defesa e partiu em direção ao gol. O meia-atacante serviu Wesley, que dominou e, de perna esquerda, finalizou na saída de Paulo Victor para marcar. O goleiro gremista chegou a tocar na bola, mas não impediu o gol.

Wesley comemora o primeiro gol do Palmeiras na vitória sobre o Grêmio, no Allianz
Wesley comemora o primeiro gol do Palmeiras na vitória sobre o Grêmio, no Allianz - Carla Carniel/Reuters

Renato Gaúcho, aliás, optou por escalar Paulo Victor na meta gremista para as finais da Copa do Brasil. Na partida de ida, no gol de Gustavo Gómez, o camisa 1 também encostou na bola antes de ver o cabeceio do paraguaio morrer no fundo da rede.

Autor do gol que colocou o Palmeiras com uma mão e meia na taça, Wesley havia perdido a final da Libertadores em razão de uma lesão no menisco do joelho esquerdo. Ficou três meses parado e voltou a entrar em campo na penúltima rodada do Campeonato Brasileiro, no empate em 1 a 1 com o Atlético-GO.

Neste domingo, o camisa 47 pôde coroar a recuperação com o gol que encaminhou mais uma conquista palmeirense.

"Foi muito difícil para mim, infelizmente. Quando a gente começou o mata-mata, tive a infelicidade de uma lesão. Os companheiros me ajudaram, a minha família, o clube sempre esteve do meu lado. Na semifinal, quando classificou, eu acho que fui o que mais comemorou, porque achei que daria tempo para poder voltar e participar. É um grupo único para a história do Palmeiras", disse Wesley após a partida.

Título confirmado com a entrada de Gabriel Menino, um dos protagonistas do 2020 vitorioso para o clube, que trouxe intensidade do banco para manter a equipe inteira até o final do jogo. Em novo contra-ataque, Rony lançou Willian, outro que veio a campo na etapa final, que tocou para Menino bater de esquerda e fechar a vitória, aos 39 minutos.

O Palmeiras levantou a taça da Copa do Brasil pela quarta vez em sua história
O Palmeiras levantou a taça da Copa do Brasil pela quarta vez em sua história - Miguel Schincariol/AFP

"A gente tem que agradecer a Deus porque é um ano inesquecível para a gente. Um monte de moleque da base, e a gente está conquistando [títulos], fazendo uma história dentro do Palmeiras, isso é o mais importante. Deixar nossa marca aqui porque a gente é moleque da base, subiu para o profissional e fez uma história que sei que vai ficar para a vida toda", afirmou Menino.

Dois gols de jogadores das categorias de base. Era o frescor, a juventude e o fôlego que um Palmeiras forte, mas cansado, precisava para encerrar a temporada em grande estilo. Encerra campeão, mais uma vez.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.