Descrição de chapéu Cinema

Segunda parte de 'It' muda de intensidade e retorna mais pesada e violenta

Diretor Andy Muschietti diz que o tom ficou mais adulto porque a saga deixou de ser contada do ponto de vista infantil

Thales de Menezes
São Paulo

​​“It: Capítulo Dois” conclui a adaptação cinematográfica do romance de terror “It: A Coisa”, que Stephen King lançou em 1986. Somada ao primeiro filme, de 2017, a produção completa cinco horas e quatro minutos da saga do grupo de amigos que enfrenta o maligno Pennywise.

É curioso que a carreira do diretor argentino Andy Muschietti, que assina os longas, tenha começado em 2008 com um curta de três minutos, “Mamá”. O filminho chamou a atenção de ​Guillermo Del Toro, e o diretor mexicano produziu em 2013 “Mama”, versão estendida e assustadora que lançou Muschietti no cinema americano.

Para quem já contou uma história em três minutos, a maratona de “It” é uma experiência diferente. “Na minha cabeça, tudo sempre foi uma única e longa história”, disse o cineasta em São Paulo, durante turnê por vários países para o lançamento o filme. 

A segunda parte da saga estreia nesta quinta (5) no Brasil.

"Quando decidimos dividir a adaptação em dois filmes, eu tinha preocupações específicas com o primeiro capítulo, coisas práticas a resolver, mas na minha mente tentava contemplar todo o arco da história."

Ele explica que nem tudo mostrado no “Capítulo Dois” estava decidido enquanto o primeiro filme era rodado, incluindo o elenco. “Estava com o foco no primeiro filme. Mas é claro que a gente especulava quem faria cada personagem na versão adulta, os próprios meninos davam palpites.”

A história de "It" é dividida em duas aparições de Pennywise, que surge na forma de um palhaço assassino de crianças em Derry, mais uma cidadezinha fictícia no Maine entre tantas que Stephen King criou para abrigar suas tramas.

Depois que os garotos conseguem interromper as mortes provocadas pela criatura, todos deixam a cidade para suas vidas adultas, exceto um deles, Mike. É ele que, 27 anos depois, pede o retorno dos amigos a Derry porque Pennywise volta a atacar.

Durante a finalização do primeiro filme, Muschietti e sua irmã Barbara, produtora, começaram a pensar seriamente na escalação do elenco adulto. Mas o diretor diz que uma escolha estava desde sempre em sua cabeça: Jessica Chastain como Beverly, única integrante feminina dos Losers, a “gangue” de garotos de Derry.

Chastain atuou em "Mama". Agora, volta a brilhar sob comando de Muschietti. O elenco do "Capítulo Dois" apresenta escolhas ótimas, entre elas James McAvoy, o Professor Xavier jovem da saga "X-Men", e Bill Hader, famoso por 14 anos no humorístico de TV "Saturday Night Live".

As versões infantil e adulta dos personagens nunca contracenam, mas Muschietti fez questão de promover longos encontros entre os dois times de atores.

"As escalas de horário das filmagens não favoreciam muito isso, mas tivemos dias e dias com todo mundo junto. Foi muito importante, o elenco inteiro lendo as cenas. Em cada dupla de intérpretes do mesmo personagem, colocava um próximo ao outro. Orientei os adultos a observar os maneirismos dos garotos."

Muschietti diz que, mais do que corrigir erros, quis fazer coisas que não conseguiu fazer no primeiro filme 
por limites de orçamento.

A crítica americana considerou "It: Capítulo Dois" mais pesado do que o primeiro, mais violento. Muschietti admite uma mudança de intensidade. “Agora o tom é menos juvenil. Os temas são mais adultos, fala de culpa, de relacionamentos abusivos. Os personagens carregam sequelas do que aconteceu na infância. Vejo o primeiro filme mais ingênuo, mais leve. Afinal, é contado pelos olhos de crianças.”

O diretor derrama elogios ao ator sueco Bill Skarsgård, que interpreta Pennywise sob pesada maquiagem. “Ele tem uma habilidade incrível de demonstrar emoções debaixo de toda a massa. Seu sorriso e seu olhar são importantes, é realmente um esforço físico. E tem uma paciência inesgotável para se submeter a essa transformação.”

Muschietti gostaria de ver Pennywise em outras aventuras no cinema, mas não sabe o que Stephen King pensaria disso. Por seu lado, entra agora em dois projetos grandes: ingressar no universo da DC Comics, com "The Flash", e a adaptação do mangá fantástico "Attack on Titan".

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.