Descrição de chapéu Livros

Finalistas de Booker Prize 2020 são de Zimbábue, Etiópia, Escócia e EUA

Lista dos indicados é a mais diversa da história e Hilary Mantel fica de fora após dois anos

São Paulo

A lista dos finalistas indicados ao Booker Prize foi anunciada nesta terça-feira (15) e é a mais diversa de todas as edições, contando com a presença dos escritores Douglas Stuart, da Escócia, Maaza Mengiste, da Etiópia, Tsitsi Dangarembga, do Zimbábue, Diane Cook, Avni Doshi e Brandon Taylor, dos Estados Unidos.

Além da diversidade de nacionalidade entre os seis autores, a edição de 2020 de um dos maiores prêmios literários do mundo também se destaca pela indicação de quatro escritores iniciantes e quatro negros.

"Os melhores romances geralmente preparam nossas sociedades para conversas valiosas, e não apenas sobre as desigualdades e dilemas do mundo —seja em relação às mudanças climáticas, comunidades esquecidas, velhice, racismo ou revolução quando necessário— mas também sobre como o interior da mente é magnífico", disse em nota a presidente do júri, Margaret Busby.

Os livros finalistas, escolhidos entre 162 títulos analisados pelo júri, são:

  • "This Mournable Body", de Tsitsi Dangarembga

  • "The Shadow King", de Maaza Mengiste

  • "The New Wilderness", de Diane Cook

  • "Burnt Sugar", de Avni Dosh

  • "Shuggie Bain", de Douglas Stuart

  • "Real Life", de Brandon Taylor

A autora britânica Hilary Mantel, que já venceu o prêmio duas vezes em edições anteriores, estava entre os semifinalistas, mas agora foi desclassificada.

O vencedor deste ano ganhará o valor de £ 50 mil, o equivalente a R$ 339 mil, e será anunciado em 17 de novembro, num evento transmitido online.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.