Peça censurada de Vianinha mostra ex-ditador fazendo ginástica; leia

'Papa Highirte', escrita em 1968 e fora de catálogo há décadas, será relançada em fevereiro

Oduvaldo Vianna Filho

[SOBRE O TEXTO] O trecho nesta página faz parte da peça “Papa Highirte”, que a editora Temporal lança em livro no final de fevereiro. A obra, escrita em 1968 e censurada pelo regime militar, estava fora de catálogo desde 1984.

idoso sentado e empregada de pé
Ilustração - Suryara Bernardi

​​O cenário conterá, simultaneamente, os diversos locais em que se passam as cenas, inclusive as de flashback. Esta simultaneidade obrigará uma cena realista nos seus elementos, mas expressiva da totalidade no seu conjunto. Abre a cortina. Mesa de café. Papa Highirte, ao lado dela, faz ginástica. Grissa, empregada, em pé, espera. E ouve.
 
Papa Highirte
Um... Dois... (Flexão de braços) Um... Dois... Bravos... Um... Dois... Um... Dois... Bravos, Papa Highirte... (Para um tempo, flexão de pernas) Um... Dois... Um... (Agachado) Ah, as pernas, Grissa, as pernas são coisa dos comunistas… (Levanta) Dois. (Tempo) Vamos ver, duvida que eu consiga mais uma vez, não é? Vamos ver. Um... (Abaixa-se) Total concentração... (Sobe com dificuldade) Dois. (Tempo) Sou um Marvel, Grissa, um importante Marvel. Mais uma? Hã? Um... (Abaixa-se) Vamos, Juan Maria Guzamón Highirte, espera-o a doce satisfação das missões cumpridas... Total concentração... (Tempo) Me ajude aqui...
 
(Grissa vai até ele. Ajuda-o a levantar-se. Papa faz fundos exercícios respiratórios. A luz muda de estalo. Branca, feroz. Só um foco de luz em Grissa. A luz dos flashbacks bruxuleia um pouco. Sempre que há um flashback há um fundo musical, música típica latino-americana toca baixo. Quente)
 
Grissa
Mas ele é tão menino, uma coisa, tão menino ria muito me lembro meu sobrinho ria muito é meu sobrinho, Papa, me lembro é tão menino Manito por que ficou Manito, Hermano Manito.
 
(A luz reverte. Papa está sentado à mesa. Mastiga o pão. Cospe-o)
 
Papa Highirte
O pão deste país é horrível ah o pão dos latino-americanos, pão de gente que não é amada... O pão aqui em Montalva só serve para lembrar da minha Alhambra, ao menos em Alhambra eu fiz uma lei —obrigatório 60% de farinha de trigo no pão, decreto 8.013, setembro, 1963, revogadas as disposições em contrário... Aqui em Montalva só me resta cuspir o pão... (Cospe os pedaços metodicamente. Longa pausa) E você me odeia não é, Grissa? (Reversão de luz. Agora só em Papa. A mesma música. Papa anda de um lado para o outro) Não faria nada, nem que fosse filho meu, filho único.
 
Grissa
Ria muito, é meu sobrinho, Manito.
 
Papa
Highirte
Não posso fazer nada, ele vai ser julgado, é a lei, a lei.
 
Grissa
Manito, Hermano, Manito, meu sobrinho.
 
Papa Highirte
Assaltaram o quartel da Terceira Divisão de Alhambra. (Reversão de luz. Papa sentado na mesma posição. Toma pulque¹) Não diga nada ao meu médico, você sempre me denuncia mas é testemunha que todos os dias faço um esforço de herói grego para tomar este café merencório. Tomo pulque. A culpa é do pão; quer conhecer um povo? Coma seu pão... Você não diz nada, mulher?
 
Grissa
O senhor gosta de falar, Papa...
 
Papa Highirte
Você não tuge nem muge, estou aqui nesta Montalva, esta terra arrastada, há dois anos e meio no exílio, viúvo, vista fraca, longe da minha Alhambra e você não tuge nem muge. Tomo pulque.
 
Grissa
Não quero.
 
Papa
Highirte
...Há quatro anos que eu lhe digo que a responsabilidade pela morte de seu sobrinho não foi minha, Grissa!
 
Grissa
...Eu sei.
 
Papa Highirte
Ele fugiu da cadeia, foram os comunistas!
 
Grissa
...Eu sei, Papa...
 
Papa Highirte
Não, não acredita.
 
Grissa
Acredito.
 
Papa Highirte
Não acredita.
 
Grissa
Acredito, Papa, eu...
 
Papa Highirte
...Não acredita, não acredita, basta ser uma autoridade para não ter crédito! Ninguém mais tem coragem de ser autoridade, este é o mundo de vocês, para vocês democracia é isso um vento, papa-ventos no mundo cada um faça o que quiser! E o nojo da autoridade por todo mundo, democracia não é uma aventura, não é piquenique, não é o mundo dos adiamentos, das desculpas, não é um baile das regalias, democracia é também uma procissão dos deveres, entendeu, Grissa? Você quando você vai entender vocês todos? 

¹ Bebida fermentada, feita da seiva do agave, consumida tradicionalmente na Mesoamérica.


Oduvaldo Vianna Filho (1936-1974) foi dramaturgo, ator e diretor de teatro e televisão.

Ilustração de Suryara Bernardi.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.