Descrição de chapéu Coronavírus

Itaú corta projeção do Ibovespa para 94 mil pontos em 2020

Banco projetava que Bolsa brasileira chegaria, ao fim do ano, nos 132 mil pontos

São Paulo

O Itaú cortou, nesta terça-feira (24), a projeção para o Ibovespa, maior índice acionário do país. O banco agora prevê o índice a 94 mil pontos ao fim de 2020, ante 132 mil pontos previstos no início do ano. Nesta terça, o Ibovespa encerrou o pregão cotado a 69 mil pontos.

A redução reflete um lucro menor das companhias listadas na Bolsa devido aos efeitos econômicos do coronavírus. Segundo o banco, o PIB (Produto Interno Bruto) do segundo trimestre deve ser 10% menor que o mesmo período de 2019, movimento que deve se repetir no terceiro trimestre. Para todo o 2020, a projeção é de queda de 0,7% do PIB.

Segundo o relatório, a recuperação será rápida. O banco espera crescimento de 5,5% em 2021, ante 3% anteriormente.

O relatório também aponta que o investidor pessoa física foi o grande comprador na forte queda de cerca de 40% do Ibovespa, enquanto estrangeiros foram os que mais venderam.

Em 2020, estrangeiros saíram em velocidade e em quantia recorde da Bolsa brasileira, com retirada de R$ 60,5 bilhões até o dia 20 de março, sem contar IPOs e follow-ons (oferta inicial e subsequente de ações, respectivamente).

Contudo, como o Ibovespa em dólares está mais barato do que na crise de 208 e próximo à mínima de 2016, o banco vê a volta do estrangeiro no curto prazo.

“Em um cenário altamente incerto e volátil, é improvável que os investidores globais façam apostas fortes em países de mercados emergentes (fuga para a qualidade e fuga para a liquidez parece ser a prioridade), mas acreditamos que isso pode mudar rapidamente se e quando as perspectivas para o crescimento do PIB global se tornarem mais claras”, diz o Itaú.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.