Por falta de dados de empresas, divulgação de estatísticas de vagas formais não tem data prevista

Mudança no sistema de envio de balanço traz dificuldades às companhias

Brasília

O governo não tem previsão de quando voltará a divulgar os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), que mede o desempenho do mercado formal de trabalho no país.

Nenhuma estatística para 2020 foi divulgada até o momento por causa da falta de informações sobre admissões e demissões, a serem fornecidas pelas empresas. Houve uma mudança no sistema de envio do balanço e as empresas estão com dificuldade com a troca.

Até o ano passado, os dados do Caged eram divulgados mensalmente. O saldo de vagas formais de trabalho de janeiro de 2019, por exemplo, foi apresentado no fim de fevereiro do mesmo ano.

Desempregados formam fila para entrega de currículo
Desempregados formam fila para entrega de currículo - Rivaldo Gomes - 27.nov.2019/Folhapress

O governo esperava apresentar as informações sobre as vagas com carteira assinada de janeiro de 2020 ainda nesta semana.

A secretária especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, contundo, informou nesta segunda-feira (30), que a apresentação do balanço do Caged de janeiro e fevereiro, por ora, está suspenso —sem data prevista.

Segundo o órgão, apesar de o envio de dados ser obrigatório para as empresas, foi identificado que as declarações sobre os desligamentos de trabalhadores nos dois primeiros meses do ano estão abaixo do esperado.

“Tal situação implica que o saldo de emprego formal, se divulgado, poderia apresentar valor superior ao que seria aferido se preenchido em conformidade”, explicou o governo, em nota.

Somente em janeiro, ao menos 17 mil empresas deixaram de prestar informações ao eSocial relativas aos desligamentos realizados, o que representa 2,6% do total de empresas que tiveram movimentações no período, destacou a secretaria.

Desde o início deste ano, as empresas que estão no eSocial —sistema de escrituração digital que está substituindo outros cadastros, como a Gfip— não usam mais o Caged para transmitir os dados de admissão e demissão, pois o novo sistema abastecerá as estatísticas.

O governo e o Conselho Federal de Contabilidade pedem que as empresas reenviem os dados, mas a pandemia do novo coronavírus tem dificultado o ajuste nas estatísticas.

Apesar do atraso no Caged, a liberação de seguro-desemprego não é afetada, afirma do ministério.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.