Descrição de chapéu Governo Trump

Secretário de Justiça deveria parar investigação sobre a Rússia, diz Trump

Presidente pediu que Sessions dê um fim à apuração das ações de Moscou na eleição de 2016

Júlia Zaremba
Washington

O presidente americano Donald Trump disse que o secretário da Justiça, Jeff Sessions, deveria parar as investigações sobre a interferência russa nas eleições americanas, conduzidas pelo procurador Robert Mueller.

Ele escreveu nas redes sociais nesta quarta-feira (1º) que Sessions "deveria parar essa caça às bruxas manipuladas agora mesmo, antes que manche o país ainda mais." Disse ainda que Mueller "está totalmente em conflito" e que o conluio russo no pleito não é verdade.

O presidente americano Donald Trump durante evento em Tampa, na Flórida
O presidente americano Donald Trump durante evento em Tampa, na Flórida - Saul Loeb - 31.jul.2018/AFP

Críticas às investigações por parte de Trump são recorrentes, mas é a primeira vez que ele diz que o secretário deveria dar um fim à apuração. Ele já está na mira de autoridades por suspeita de obstrução de Justiça: Mueller está examinando seus tuítes contra Sessions e James Comey, ex-diretor do FBI, como o jornal The New York Times revelou na última semana.

A secretária de imprensa da Casa Branca, Sarah Sanders, minimizou o incidente e afirmou que o presidente apenas expressou a sua opinião. "Ele não está obstruindo a Justiça, está reagindo", disse ela, na entrevista coletiva diária a jornalistas.

A mensagem na rede social foi publicada no segundo dia do julgamento de Paul Manafort, ex-chefe de campanha de Trump acusado de crimes financeiros. O processo é resultado das investigações de Mueller sobre a campanha à presidência de 2016.

Para tentar se afastar da polêmica, o presidente afirmou, que Manafort trabalhou por pouco tempo em sua campanha e que o governo deveria tê-lo avisado que o republicano estava sob investigação.

Durante a cúpula com Vladimir Putin em Helsinque, na Finlândia, Trump afirmou que as investigações do FBI sobre a intromissão russa nas eleições "são um desastre para o país". Depois, voltou atrás e reconheceu a atuação do país no pleito.

Nesta semana, Mueller indicou que está disposto a reduzir o número de perguntas que faria a Donald Trump, retomando as negociações em torno de uma entrevista do presidente após um longo impasse. 

Em uma carta enviada nesta segunda-feira (31) aos advogados do republicano, a equipe de Muller sugeriu que as perguntas sobre a suposta obstrução de justiça seriam reduzidas para a metade, segundo duas fontes informadas sobre as negociações. 

Não está claro que tópico ou tópicos teriam sido deixados de lado. Jay Sekulow, advogado de Trump, disse que "nada está decidido ainda".

O impasse se estende desde março, quando Mueller levantou a possibilidade de intimar o presidente. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.