Nicarágua condena dois opositores a mais de 200 anos de prisão cada

Ambos são enquadrados em lei antiterrorismo aprovada às pressas em julho de 2018

Manágua | AFP

A Justiça da Nicarágua condenou nesta segunda-feira (18) os líderes opositores Medardo Mairena e Pedro Mena a mais de 200 anos de prisão cada um por causa dos protestos do ano passado contra a ditadura de Daniel Ortega

Mairena obteve pena de 216 anos de prisão por "terrorismo" e outros seis crimes atribuídos pela Procuradoria-Geral, entre eles a morte de quatro policiais e um civil durante os protestos, afirmou o advogado Julio Montenegro, da Comissão Permanente de Direitos Humanos |(CPDH).

Já Mena foi condenado a 210 anos de prisão por "terrorismo" e outros crimes.

Ambos foram enquadrados em uma controversa lei antiterrorismo aprovada às pressas em julho de 2018. 

As penas foram ditadas pelo juiz Edgard Altamirano, de Manágua —segundo a imprensa nicaraguense, um aliado de Ortega. 

"As penas são o triplo do que pediu a própria procuradoria, apesar de a pena máxima no país ser de 30 anos", afirmou Montenegro, segundo o site La Prensa. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.