Descrição de chapéu Venezuela

General venezuelano deserta para a Colômbia e critica Maduro

Carlos Rotondaro é desde 2018 alvo de sanções impostas pelo governo dos EUA

Reuters

Um general da Venezuela que foi alvo de sanções aplicadas pelos EUA criticou nesta segunda-feira (18) o governo do ditador Nicolás Maduro como "inepto e corrupto", após desertar para a vizinha Colômbia.

Ex-chefe da agência estatal de distribuição de medicamentos para pacientes crônicos, o general do Exército Carlos Rotondaro foi sancionado em 2018 como parte do esforço dos EUA para estrangular o regime Maduro. 

"Não sou um traidor. Sou leal à pátria", afirmou Rotondaro em entrevista à TV colombiana NTN24. "Meu juramento [militar] não incluía defender um governo inepto e corrupto."

Rotondaro disse que deixou seu país por uma das passagens ilegais entre Venezuela e Colômbia porque seu passaporte havia sido cancelado.

Desde janeiro, centenas de oficiais venezuelanos desertaram e buscaram refúgio na Colômbia, passando a defender o autodeclarado presidente interino Juan Guaidó. Militares de alta patente são tidos como cruciais para a manutenção de Maduro no poder em meio ao colapso econômico e humanitário do país.

"A população está clamando por uma mudança por meio de eleições livres e justas", afirmou Rotondaro, acrescentando que reconhecia a liderança de Guaidó. 

O Instituto de Previdência Social da Venezuela por vários anos importou e distribuiu medicamentos gratuitamente para doenças como câncer. Mas contraiu dívidas imensas com empresas farmacêuticas e deixou de distribuir remédios, deixando milhões em tratamento para doenças crônicas. 

Maduro diz que seu país é vítima de uma "guerra econômica" liderada pela oposição com apoio dos EUA.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.