Descrição de chapéu The New York Times

Idosos se casam em Nova York após maratona em sites de relacionamento

Tanya, 60, e Paul, 63, se cadastraram em mais de dez páginas diferentes até se conhecerem

Alix Strauss
The New York Times

Em matéria de namoro e relacionamentos, Tanya Pushkine e Paul Luykx tinham estratégias diferentes.

Tanya, que é consultora de filantropia, apostava em sites de relacionamento. Ela se registrou em 11 deles.

“Eu me inscrevia em todo site do qual tomava conhecimento”, ela contou. “Não os levava muito a sério.”

Mas ela era altamente seletiva em relação aos homens com quem concordava em ter encontros. “Eu já tinha sido perseguida antes por um ‘stalker’ e conhecera alguns golpistas. Tive muitas decepções, mas não desisti de procurar. Eu sabia que queria me casar de novo. A busca por uma pessoa na minha vida virou algo fundamental.”

Caixa de jóias mostra 14 alianças
Alianças que Paul Luykx usou para pedir Tanya Pushkine em casamento - An Rong Xu - 12.abr.2019/The New York Times

Paul, que é investidor imobiliário, se inscreveu em apenas quatro sites de namoro, mas sua meta era conhecer muitas mulheres. Ele criou uma planilha para não se perder em meio a todas.

“Eu não queria cometer um engano, por exemplo perguntar a uma mulher ‘como vai seu irmão?’, e ela me responder ‘que irmão?’.”

Sua meta para um ano: “conhecer cinco mulheres novas por semana. Para isso, eu precisava mandar emails a 20 mulheres, falar com dez e então reduzir esse número para cinco.”

Tanya, 60 anos, e Paul, 63, se conheceram em julho de 2016 por meio do site Bumble (ele já a havia rejeitado anteriormente no Match). Quando ela recebeu a resposta de Paul ao “oi” dela no Bumble, “onde você esteve toda minha vida?”, ficou encantada. “Era diferente dos outros”, explicou.

Os dois tinham histórias anteriores semelhantes. Ambos tinham sido casados antes –Tanya uma vez e Paul, duas—e tinham dois filhos de seus relacionamentos anteriores.

Tanya passara 14 anos casada com um gerente de restaurante que ela conhecera por seis meses antes de se casarem. Ela se separou dele em 2003, e o divórcio foi finalizado cinco anos mais tarde.

Paul tinha 20 anos quando se casou com sua namorada dos tempos do colégio. “Éramos bons amigos, mas ainda não éramos realmente adultos”, comentou. O casamento durou 19 anos. “Fiquei casado com minha segunda mulher por 14 anos”, ele contou. Eles se divorciaram em 2016.

Como Tanya, Paul ansiava por estar em um relacionamento. “Jamais imaginei estar nesta situação de novo aos 60 anos”, comentou.

Ao lado de sua planilha de encontros, Paul havia desenvolvido uma rotina. A frase que ele usou para seduzir Tanya era sua cantada padrão. Ele marcava o primeiro encontro com mulheres no Center Bar, no Time Warner Center, em Manhattan, para alguns drinques, sempre na mesma mesa reservada.

A caminho do bar, parava para comprar uma caixinha de confeitos de goma da Sugarfina no primeiro andar do edifício.

“Pode parecer uma armação, mas não era assim”, disse Paul. “Eu ficava tão impressionado com as mulheres que conhecia. Me sentia privilegiado por conhecê-las.”

Mas naquele 17 de julho ele estava atrasado 20 minutos para o encontro em que conheceria Tanya. Em vez de balinhas de goma, ele chegou com um pedido de desculpas.

“Ele chegou usando calças meio vermelhas e tênis Converse. Adorei”, disse Tanya, que se descreveu como boêmia e eclética.

“Nós dois compartilhamos um vínculo cultural. Ele é de Amsterdã, eu sou de Bruxelas. Alguns minutos depois de conhecê-lo eu já percebi que ele era diferente. Geralmente peço para um de meus filhos me telefonar para me ‘resgatar’ de encontros, mas desta vez não precisei disso. Me lembro de ter pensado: ‘Eu não queria estar em nenhum outro lugar que aqui’.”

Paul sentiu a mesma coisa. “Nós dois somos europeus. Ambos somos francófonos. Tínhamos inúmeras coisas em comum. Ela era linda. Apareceu para o encontro usando uma calça estilo pijama de seda. A gente não conseguia parar de falar.”

Quatro horas se passaram rapidamente. Depois eles fizeram uma caminhada no Central Park.

Conversaram mais e se beijaram. Antes de terem se dado conta, três horas já haviam se passado. Nenhum dos dois queria ir embora, mas Paul chamou um Uber e voltou para sua casa em Jersey City. Tanya, que vivia ali perto, voltou para a casa dela a pé.

“No carro, a caminho de casa, eu estava pensando: ‘Meu Deus, esta é a garota. Minha busca acabou. Resistir seria inútil.’”

Seguiram-se mensagens de texto, emoticons de beijos e um encontro adicional. Depois Tanya passou um fim de semana no apartamento de Paul, quando a planilha foi revelada.

“Pensei que fosse piada dele, até que pedi para ver”, contou Tanya. Ela viu que estava classificada em primeiro lugar entre mais de 80 mulheres.

Na seção de observações, Paul havia escrito: “Ela mexe comigo mais que qualquer outra pessoa”. “Aquilo me deixou supercuriosa em relação a essas outras mulheres”, disse Tanya.

Naquele fim de semana Paul anunciou que a planilha seria aposentada e que quaisquer encontros futuros com outras mulheres seriam cancelados. “Quando eu a conheci, a planilha inteira ficou instantaneamente irrelevante.”

O relacionamento dos dois avançou rapidamente. Pouco depois daquele fim de semana, ambos fecharam suas contas nos sites de relacionamentos.

Alguns meses mais tarde Tanya empacotou seus pertences acumulados ao longo de 30 anos, alugou um depósito para guardar suas coisas e se mudou para o apartamento de Paul pelos sete meses seguintes.

Ao mesmo tempo, esvaziou seu apartamento no Upper West Side como preparativo para ela e Paul se instalarem ali permanentemente. Isso aconteceu em outubro de 2017.

“Eu queria que o apartamento fosse nosso”, ela explicou. “No passado, meus namorados tinham ido morar comigo, e o apartamento representava a minha personalidade. Desta vez eu não queria que fosse assim. Queria que o apartamento fosse de nós dois. Então nós dois vendemos todos nossos móveis e começamos do zero.”

casal anda de mãos dadas entre convidados
Paul Luykx and Tanya Pushkine apóscerimônia de casamento em Nova York - An Rong Xu - 12.abr.2019/The New York Times

Em maio de 2018 Paul levou Tanya para jantar, mas fez um desvio a caminho do restaurante, parando diante de um banco de um parque perto do Museu de História Natural, onde se ajoelhou e tirou do bolso uma caixinha.

“A caixinha continha um anel de diamantes, grande e espalhafatoso, que parecia real, mas eu sabia que era falso”, disse Tanya. “Paul tem um senso de humor ótimo. Ele é muito eficiente, mas em matéria de joias é incompetente.”

Tanya disse “sim” sem pensar duas vezes. Ao longo dos seis meses seguintes, Paul a pediu em casamento de novo. E de novo. Quatorze vezes ao todo. Cada pedido foi feito de modo espontâneo –na cozinha, durante um jantar com amigos, diante do prédio deles--, e cada um veio acompanhado de uma nova aliança de noivado.

“Uma vez ele fez o pedido num restaurante e o chef nos mandou champanhe”, contou Tanya, dizendo que cada aliança era mais feia que a anterior.

“Cada uma tinha custado um dólar em um site chamado Wish.”

Enquanto isso, Tanya estava desenhando sua própria aliança. “O desenho estava levando meses para ficar pronto”, disse Paul, “por isso, enquanto esperávamos, eu fiquei oferecendo a ela aquelas alianças tipo descartáveis. Finalmente, quando o desenho ficou pronto, eu me encarreguei da produção da aliança de verdade.”

Aquele Dia de Ação de Graças foi passado em Paris. Depois de desembarcar na cidade, Paul insistiu que ele, Tanya e a filha dela passeassem na margem esquerda do Sena. Ao lado do Palais-Royal, ele parou diante de uma fonte. A aliança desenhada por Tanya estava em seu bolso.

“Tanya é uma romântica”, disse Paul. “Nós dois choramos quando ela disse ‘sim’. É uma celebração da vida e da família.”

A celebração se realizou no dia 12 de abril, quando 110 convidados chegaram ao Brooklyn Winery, em Williamsburg, para a cerimônia e recepção de casamento.

Tanya foi escoltada até uma chupá por seu filho, Luca Rojas. Sua filha, Lara Rojas, tornara-se uma pastora da Vida Universal para celebrar a cerimônia, que incorporou tradições judaicas.

“Hoje celebramos duas pessoas que se esforçaram e desenvolveram um relacionamento forte, porque elas estão tão engajadas”, disse Lara Rojas.

“Vi minha mãe passar por vários homens ao longo de 16 anos e entendi que Paul era seu par perfeito. Os dois têm um lado excêntrico, os dois conseguem ser quem são realmente um com o outro. Eu os observei formarem um relacionamento profundo, gentil, amoroso.”

Noiva se olha no espelho
Tanya Pushkine antes de sua cerimônia de casamento no Brooklyn, em Nova York - An Rong Xu - 12.abr.2019/The New York Times

Luca Rojas viajou de Los Angeles para assistir ao casamento e concordou com sua irmã: “Sinto felicidade tremenda por minha mãe. Acompanhei o divórcio dela de perto e vi todas as dificuldades da sua busca por um relacionamento. Aprendi a valorizar e querer bem as pessoas que lhe dão felicidade, e Paul faz isso. Ele tem um grande espírito e uma personalidade fantástica.”

Em seus votos de casamento, Paul prometeu que sempre vai perguntar a Tanya: “O que deixará você feliz?” Tanya prometeu ser a pessoa mais confiável da vida dele e amá-lo sob quaisquer circunstâncias.

O casal trocou alianças sob a chupá e depois pisou sobre um copo de vidro para concluir a cerimônia e simbolizar sua união.

O jantar foi servido à moda familiar, em mesas compridas de madeira. Cubas de vinho formavam o segundo plano, e ramos de flores de cerejeira cor de rosa criavam um ambiente especial, suave.

Às 22h os convidados foram para o bar assistir à primeira dança dos noivos. Paul se surpreendeu quando sua filha, Sandra-Mae Luykx, cantora de jazz que vive em Londres, cantou “At Last”, de Etta James, uma das canções favoritas de Tanya. Seu filho não pôde estar presente.

Ninguém deixou de captar a mensagem da canção. Era muito claro que Tanya e Paul haviam finalmente se encontrado e encontrado o amor. “Tanya é a coisa mais preciosa que já me aconteceu na vida”, disse Paul. “Nosso amor é mais profundo do que qualquer coisa que já senti.”

Tanya falou algo semelhante. “Eu queria uma pessoa fiel, leal, honesta e gentil, todas as coisas que Paul é”, ela disse. “Paul tem o coração mais generoso do mundo. Demorei muito mesmo para encontrar minha outra metade. Mas encontrei.”

Tradução de Clara Allain

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.