Número de detenções de migrantes na fronteira cai nos EUA

É a primeira queda no ano; governo atribui números a política linha-dura e acordo com México

Washington | AFP

Os Estados Unidos informaram nesta terça-feira (9) que as detenções de migrantes na fronteira com o México caíram 28% em junho em relação ao mês anterior, após os dois países endurecerem os controles. É a primeira redução neste ano.

O Departamento de Segurança Interna afirmou que a situação continua sendo “uma emergência”, com um total de 104.344 apreensões em junho —em comparação com 144 mil em maio e 43.180 há um ano. 

O fluxo migratório costuma diminuir nesta época do verão no Hemisfério Norte, pelas condições áridas da fronteira. O governo americano, porém, atribuiu os números ao “enfoque cabal do governo”, às operações conjuntas com o México e aos esforços de El Salvador, Guatemala e Honduras, países de origem da maioria dos migrantes. 

“Desde que o governo alcançou o novo acordo com o México, vimos um substancial incremento nas interdições na fronteira sul”, diz comunicado do departamento americano. 

O debate sobre a migração na fronteira agita a política interna dos EUA após denúncias sobre as condições ruins dos centros de detenção e é chave para o México, que foi ameaçado com sanções se não frear o fluxo de pessoas.

O México reforçou a segurança em suas fronteiras e ampliou sua política de receber imigrantes, enquanto os EUA processam as solicitações de asilo.

Segundo o governo americano, a redução das apreensões ocorre em todos os grupos, incluindo menores desacompanhados, adultos sozinhos e unidades familiares.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.