Chanceler de Macri repudia comentários de Bolsonaros sobre vitória de Fernández

Jorge Faurie enviou carta em caráter pessoal à embaixada brasileira em Buenos Aires

Sylvia Colombo
Buenos Aires

O chanceler da gestão de Mauricio Macri, Jorge Faurie, afirmou em entrevista à imprensa local nesta quinta-feira (31) ter enviado uma "carta pessoal" ao embaixador brasileiro em Buenos Aires, Sergio Danese, para condenar as críticas da família Bolsonaro ao triunfo de Alberto Fernández

Além de ter dito que tanto o presidente Jair Bolsonaro quanto seu filho Eduardo Bolsonaro proferiram "frases inapropriadas", Faurie pediu "maior prudência" às declarações sobre o governo eleito na Argentina.

Ele também condenou a postagem ofensiva do deputado federal sobre Estanislao Fernández, filho do kirchnerista, por meio da redes sociais. "Não se deve discriminar ninguém." 

O presidente Jair Bolsonaro discursa em fórum em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos
O presidente Jair Bolsonaro discursa em fórum em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos - Satish Kumar - 27.out.19/Reuters

Após o resultado das eleições no país vizinho, realizada no último domingo (27), na qual a chapa de Fernández e Cristina Kirchner derrotou a tentativa de reeleição do atual presidente, Bolsonaro disse que a Argentina havia "escolhido mal" e que não pensava em parabenizar o candidato eleito.

Depois, voltou ao tema, dizendo que o Brasil está "preparado para o pior". Eduardo Bolsonaro, por sua vez, retuitou postagem que mostrava foto dele, posando com uma arma, e de Estanislao, que faz cosplay e se veste de drag queen, fantasiado como o protagonista do animê Pokémon.

A mensagem dizia: "Filho do presidente da Argentina/Filho do presidente do Brasil". Eduardo acrescentou: "Obs: Isso não é um meme".

Já o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, ao comentar a vitória de Fernández, publicou no Twitter mensagem na qual dizia que "as forças do mal estão celebrando".

"As forças da democracia estão lamentando pela Argentina, pelo Mercosul e por toda a América do Sul."

Faurie, no entanto, disse que a chancelaria argentina não adotaria ações oficiais de repúdio às postagens do ministro brasileiro, porque isso construiria "uma divisão maior" e que era preciso "evitar magnificar essas questões".

"Mantemos um diálogo importante com o Brasil. As relações são relevantes e é preciso mantê-las em uma perspectiva de colaboração."

Faurie ainda acrescentou que a chancelaria está estudando um "mecanismo" para explicar como "transmitir o incômodo" gerado pelo comportamento do governo brasileiro.

Procurada, a embaixada brasileira na Argentina confirma ter recebido a carta do chanceler argentino e afirma ter transmitido a mensagem ao Itamaraty.

A representação diplomática em Buenos Aires disse que não fará comentários neste momento.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.