Descrição de chapéu Brexit

No Reino Unido, homem tem transtorno psicótico causado pelo brexit

Análise de caso endossa a tese de que eventos políticos podem atuar como estressores psicológicos

Bianka Vieira
São Paulo

Era julho de 2016 quando um homem na casa dos 40 anos de idade deu entrada num hospital do Reino Unido em estado psicótico agudo. Ele estava agitado, confuso e apresentava pensamentos desordenados. A causa de sua crise? Ele sofria de brexit.

Segundo a esposa do paciente, sua saúde mental começou a se deteriorar logo após os resultados do plebiscito que decidiu pela saída do Reino Unido da União Europeia, realizado em 23 de junho de 2016. Reconciliar-se com a política passou a ser uma tarefa difícil para ele.

Manifestantes pró-Brexit protestam em frente à sede do Parlamento inglês, em Londres - Peter Nicholls - 9.set.2019/Reuters

Seus exames físicos e neurológicos não apresentaram problemas significativos. Em seu histórico de saúde, um episódio semelhante havia ocorrido 13 anos antes após estresse relacionado ao trabalho, mas outras evidências de questões de saúde mental envolvendo o paciente ou sua família não foram constatadas.

Médicos que analisaram o quadro concluíram, então, que eventos políticos podem atuar como estressores psicológicos e impactar a saúde das pessoas, especialmente aquelas com predisposição. 

O caso é o primeiro de transtorno psicótico agudo e transitório causado pelo brexit e foi relatado na revista acadêmica British Medical Journal (BMJ), publicação que é referência na medicina mundial. 

A doença é caracterizada por um início agudo e recuperação completa dentro de três meses. O paciente analisado recebeu alta da internação após duas semanas, e seu acompanhamento psicológico foi descontinuado em junho deste ano.

A análise do caso endossa pesquisas recentes que mostram como sociedades podem ser abaladas por conjunturas políticas turbulentas.

Após as eleições presidenciais de 2016 nos Estados Unidos, pesquisa da Associação Americana de Psicologia revelou que 57% das pessoas ouvidas sentiram-se estressadas ​​pelo clima político. Há, ainda, um relato de caso de distúrbio psicótico provocado pelo resultados das eleições gerais no país.

Segundo o artigo do BMJ, consultas semelhantes no Reino Unido relataram que o brexit foi uma das principais fontes de ansiedade entre os jovens.

Ao chegar ao hospital, o paciente ouvia vozes e, entre outras paranoias, acreditava que pessoas planejavam matá-lo e que algumas conversas no rádio e na TV eram direcionadas a ele. Em certo momento, já alojado na enfermaria psiquiátrica, disse sentir vergonha de ser britânico.

“Me lembro de desejar que o Facebook fornecesse ferramentas melhores para as pessoas, então comecei a projetar um algoritmo que conectaria os emojis dos usuários à sua própria experiência cultural”, relata o paciente ao abordar como suas frustrações com o debate político agravaram seu estado psicótico. 

“Embora o brexit pareça ser o estressor primário por causa da proximidade temporal, do significado pessoal relatado pelo paciente e do conteúdo da psicopatologia, é possível que outros estresses relacionados ao trabalho e à família possam ter contribuído”, assinala Mohammad Zia Ul Haq Katshu, autor do artigo e professor da Universidade de Nottingham, sobre o caso.

Segundo a publicação, a identificação de sinais precoces de distúrbios psicóticos agudos e transitórios em situações estressantes é importante por possibilitar o tratamento precoce e a rápida recuperação.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.