Mexicanos homenageiam familiares em celebrações do Dia dos Mortos

Festejos misturam raízes indígenas com tradições cristãs da era colonial espanhola

Cidade do México | AFP

No México, a morte é motivo de celebração uma vez por ano, quando as casas e as ruas do país se enchem de flores, velas, caveiras coloridas e muitos doces para que famílias homenageiem seus entes queridos que já morreram.

O Dia dos Mortos é uma celebração popular que mistura raízes indígenas com tradições cristãs da era colonial espanhola, realizada entre 31 de outubro e 2 de novembro, quando acredita-se que os mortos e vivos se encontram.

Considerado o feriado mais relevante e mais amado pelos mexicanos, ele se tornou uma festa tão original quanto representativa do país. 

Mulher em frente a altar decorado para uma parente em Quiroga, no México, durante a celebração do Dia dos Mortos - Enrique Castro/AFP

"Os povos indígenas têm um calendário ritual profundamente enraizado na agricultura tradicional, mas esse é o feriado coletivo mais importante para a retribuição à Terra e o culto de seus antepassados", diz Octavio Murillo, diretor de coleções do Instituto Nacional de Povos indígenas.

A base dessa celebração surgiu com a lenda de que os mexica, povo indígena dominante da era pré-hispânica mexicana, viajavam depois de morrer pelas nove regiões do submundo, conhecidas como mictlan. Assim, originou-se nessa época a relação dos mexicanos com a morte.

"É uma celebração com muitos anos de história e à qual povos indígenas vêm incorporando novos elementos religiosos da tradição cristã, como as oferendas", complementa Murillo.

As famílias mexicanas fazem altares todos os anos em suas casas com oferendas para homenagear os seus parentes. Neles, são colocados objetos pessoais dos mortos ou suas comidas e bebidas favoritas, acompanhados de ornamentos como flores tradicionais de cor laranja intensa e confetes, que consistem em folhas de papel de seda expostas com figuras de caveiras enfeitadas.

O ritual também é marcado por pessoas usando roupas coloridas, procissões e desfiles pelas cidades, festividades alegres em cemitérios e diversas decorações de caveiras.

Em 2003, a celebração do Dia dos Mortos foi classificada como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.