Descrição de chapéu Coreia do Norte

Coreia do Norte afirma ter realizado novos testes em base de lançamento

País quer que EUA deixem de insistir na desnuclearização unilateral da península coreana

Seul | Reuters

A Coreia do Norte afirmou ter realizado com sucesso mais um teste em uma base de lançamento de satélites na sexta-feira (13), segundo informações divulgadas pela agência de notícias estatal KCNA neste sábado (14).

Ainda não se sabe qual o tipo de experimento foi levado a cabo, mas analistas americanos afirmaram que o teste provavelmente tem como objetivo ajudar Pyongyang a produzir mísseis balísticos intercontinentais mais confiáveis, uma arma estratégica de defesa contra adversários como os EUA.

Novo motor para míssil balístico interconinental é testado na base de Sohae, na Coreia do Norte, em data anterior às reuniões do ditador norte-coreano com o presidente dos EUA - 09.abr.2016 - North Korea's Korean Central News Agency/Reuters

“O ponto parece ser de lembrar aos Estados Unidos que a Coreia do Norte ainda tem espaço para avançar qualitativamente em seu programa [nuclear]”, disse Ankit Panda, membro sênior da Federação Americana de Cientistas.

O general norte-coreano Jong Chon disse que a ação foi feita para melhorar a defesa do país e ajudar na elaboração de novas armas.  

O teste de sexta —o segundo em uma semana— foi realizado na estação de lançamento Sohae, na costa oeste do país, local que costuma receber ações dos programas espaciais e de mísseis balísticos.  

O objetivo dos experimentos seria pressionar Washington para que faça concessões no sentido de romper o impasse nas negociações nucleares com Pyongyang.

Em junho de 2018, o ditador Kim Jong-un e o presidente norte-americano, Donald Trump, firmaram um acordo que previa a desnuclearização da península Coreana, incluindo a desativação da base de Sohae.

Desde então, Kim e Trump se encontraram mais duas vezes, mas as conversas travaram e a Coreia anunciou diversos testes com mísseis este ano. O país quer que os EUA abandonem a insistência na desnuclearização unilateral da península coreana.  

A tensão aumentou nas últimas semanas, à medida que Pyongyang travou uma guerra de palavras com Trump, alimentando o medo de que as tensões entre os dois países voltem a escalar.

Stephen Biegun, o principal enviado dos EUA para a Coreia do Norte, deve chegar a Seul no domingo (15) para reuniões com autoridades locais. 

“Eles [Coreia do Norte] ainda estão treinando, fazem testes de mísseis balísticos com os quais também estamos preocupados. Observamos de perto, tal como fazem a Coreia do Sul e o Japão”, afirmou o secretário de Defesa dos EUA, Mark Esper.

Ele disse também que “o único caminho a seguir é através de um acordo diplomático e político”. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.