Descrição de chapéu RFI

Mobilização contra reforma da Previdência na França entra no 2° mês

Milhares de pessoas protestaram neste sábado em Paris, Marselha e Toulouse

Silvano Mendes

Milhares de pessoas protestaram neste sábado (4) em Paris para exigir a retirada do projeto de reforma da Previdência.

A mobilização entra em seu segundo mês e atinge principalmente os transportes públicos, em greve desde 5 de dezembro. O governo mantém sua posição e afirma que o programa de mudanças será implementado, apesar das manifestações.

Os manifestantes atenderam ao chamado de vários sindicatos e saíram às ruas de Paris carregando faixas com slogans como “Macron, retire seu projeto”. Os “coletes amarelos” participaram da marcha parisiense, que se concentrou no leste da capital, passando pela Praça da Bastilha.

Manifestantes em rua com placas e bandeiras francesas
Manifestantes na praça da Bastilha, em Paris, em protesto contra a reforma da Previdência francesa - Francois Guillot/AFP

Temendo cenas de vandalismo como as registradas nos protestos anteriores, a prefeitura proibiu que as passeatas se aproximassem da avenida Champs-Elysées.

Alguns participantes tentaram invadir a Gare do l’Est, uma das principais estações ferroviárias da capital. A polícia teve que intervir, usando gás de pimenta para afastar os manifestantes. Segundo informações divulgadas pelas autoridades, um policial foi atingido por um morteiro durante o percurso parisiense.

Protestos também foram registrados em Marselha, no sudeste do país, reunindo centenas de pessoas. Já em Toulouse, no sudoeste, membros do movimento dos “coletes amarelos” conseguiram entrar em uma estação ferroviária e bloquearam os trilhos com o apoio de funcionários grevistas.

Manifestantes em protesto em Paris contra a reforma da Previdência francesa
Manifestantes em protesto em Paris contra a reforma da Previdência francesa - Francois Guillot/AFP

Nova jornada de manifestações já foi anunciada

As manifestações acontecem na véspera do aniversário de um mês da mobilização, que coincide com o momento da volta do recesso de fim de ano. A partir de segunda-feira (4), parte da população que ainda estava em férias retorna ao trabalho e enfrentará novamente os problemas de transportes, já que o sistema de trens e metrô continua perturbado, principalmente em Paris, mesmo se registrou melhorias.

A semana também será marcada pela retomada das negociações entre o governo e os sindicatos. Durante sua mensagem de fim de ano, o presidente Emmanuel Macron indicou que a reforma entrerá em vigor, independentemente dos protestos da população, que apoia os grevistas. Uma nova jornada de greve geral já foi anunciada para a próxima quinta-feira (9).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.