Ucrânia pede transferência rápida dos corpos de avião derrubado pelo Irã

Presidente ucraniano conversou com líder iraniano depois de admissão de erro

Kiev e Moscou | Reuters e AFP

O presidente da Ucrânia, Volodimir Zelenski, insistiu neste sábado (11) que os corpos dos cidadãos ucranianos mortos na queda do avião abatido pelas forças militares do Irã na sexta-feira sejam rapidamente identificados e transferidos a seu país.

Em uma rede social, ele escreveu que conversou por telefone com seu par iraniano, Hasan Rohani, e que o reconhecimento de culpa é um passo na direção certa. 

“Os autores têm de ser responsabilizados”, afirmou, acrescentando que aguarda pela "cooperação técnica e legal" entre os dois países.

Iraniana acende velas para vítimas da queda do avião, atingido por míssil, em Teerã
Iraniana acende velas para vítimas da queda do avião, atingido por míssil, em Teerã - AFP

A conversa entre os líderes foi a primeira depois que o Irã assumiu a responsabilidade pela derrubada do Boeing 737-800 da Ukraine International Airlines em Teerã. A aeronave caiu cinco minutos após decolar do aeroporto Imam Khomeini. O vôo seguia para Kiev com a 176 pessoas a bordo —todas morreram no acidente.

O presidente iraniano, por sua vez, prometeu que todas as pessoas envolvidas na catástrofe aérea serão levadas à justiça, e que toda ajuda internacional é bem-vinda.

Rohani também conversou por telefone com o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, a quem prometeu mais investigações. 

Entre as vítimas, havia 57 canadenses, que fariam uma conexão com destino ao país. A rota Teerã-Toronto, via Kiev, era popular entre os canadenses e costumava transportar muitos estudantes e acadêmicos de origem iraniana que voltavam para casa depois das festas de fim de ano.

"O que o Irã admitiu é muito sério. Derrubar um avião civil é horrível. O Irã deve assumir totalmente a culpa", disse Trudeau neste sábado. "O Canadá não vai descansar enquanto não conseguir a resposabilização, justiça e conclusão que as famílias merecem."

Líderes de França, Reino Unido, Rússia e Alemanha também manifestaram apoio às investigações.

“Hoje foi dado um passo importante”, disse Merkel sobre a admissão de responsabilidade do Irã. A chanceler reuniu-se em Moscou, neste sábado (11), para conversar com Vladimir Putin sobre as tensões no Irã e o conflito na Líbia. 

O presidente russo disse que deve ser aprendida uma lição com o desastre.

Depois do anúncio oficial de que o avião foi derrubado por engano, houve registro de protestos neste sábado (11), em Teerã, exigindo a renúncia e a morte do aiatolá Khamenei, líder supremo do país. A União Europeia emitiu um aviso pedindo que companhias aéreas evitem o espaço aéreo iraniano até segunda ordem.

A derrubada equivocada do avião aconteceu em meio à escalada de conflitos após a morte do general iraniano Qassim Suleimani, no dia 3 de janeiro, em ataque ordenado por Donald Trump. 


PERGUNTAS E RESPOSTAS

O que ocorreu?
Um Boeing 737-800 da Ukraine International Airlines caiu cinco minutos após decolar do aeroporto internacional Imam Khomeini, em Teerã, na manhã de quarta (8). Todas as 176 pessoas a bordo morreram 

Por que o avião caiu? 
Segundo declaração do chefe da seção aeroespecial da Guarda Revolucionária do Irã, Amir Ali Hajizadeh, o avião foi abatido por um míssil de curto alcance. Antes, o Irã havia negado as acusações e dito que a informação era parte de uma “guerra psicológica” contra o país

Foi proposital? 
Não. De acordo com Hajizadeh, o avião foi confundido com um míssil de cruzeiro, armamento utilizado para liberar ogivas em longas distâncias, e, por isso, foi erroneamente abatido. A informação havia sido considerada antes por agentes dos Estados Unidos, Canadá e Reino Unido

Quais as evidências já apresentadas? 
Um vídeo divulgado na noite desta quinta (9) pelo New York Times mostra, aparentemente, um míssil atingindo a aeronave sobre Parand, região próxima ao aeroporto de Teerã onde o avião transmitiu sinais pela última vez

Qual é o tipo do míssil? 
Em declaração à TV estatal iraniana, o general Hajizadeh confirmou que foi utilizado um míssil de curto alcance. Segundo Canadá e Reino Unido, seria um terra-ar iraniano de origem russa

Quem vai investigar a queda? 
O comitê de investigação de acidentes aéreos no Irã. Mas o porta-voz do governo iraniano, Ali Rabiei, disse em comunicado que os países cujos cidadãos estavam no avião podem enviar representantes e solicita que a Boeing envie representantes para se juntarem à investigação da caixa-preta

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.