Descrição de chapéu Coronavírus Dias Melhores

Idosa americana de 102 anos que sobreviveu à gripe de 1918 e ao câncer vence a Covid-19

Gerry Schappals diz que vinho e bom humor a ajudaram a viver muito e a superar doenças

São Paulo

Mildred Geraldine Schappals foi uma vítima da pandemia de gripe de 1918, quando era um bebê de 11 meses. E agora, aos 102 anos, sobreviveu à Covid-19 .

Gerry, como é conhecida, nasceu no estado americano de Massachussets, em 1918. Naquele ano, ela, a mãe e o irmão tiveram gripe. Ela ficou tão doente que mal podia se mover, segundo contam membros da família. Apesar dos problemas, todos se recuperaram.

Mildred Geraldine Schappals, 102, que venceu a gripe de 1918 e a Covid-19
Mildred Geraldine Schappals, 102, que venceu a gripe de 1918 e a Covid-19 - Reprodução/CNN

Ela considera que aquela infecção fortaleceu seu sistema imunológico e que a protegeu de gripes e resfriados, raros durante sua vida. "Ou talvez a Mãe Natureza pensa que eu morri em 1918, então me ignora", brinca.

Gerry ouve e caminha com alguma dificuldade, mas segue lúcida e bem-humorada. "Não me considero velha", disse ela, com ajuda da filha, ao jornal The Washington Post.

Ao falar sobre sua vida, lembra que, durante a infância, militares que haviam lutado na Guerra Civil Americana (1861-1865) vinham contar sua experiência nas escolas. Também conta ter lembranças da campanha eleitoral de 1928.

Ela se tornou professora do ensino fundamental e depois foi supervisora educacional. Casou-se com Everett, marinheiro que combateu na Segunda Guerra e morreu em 1983. Eles tiveram duas filhas, três netas e seis bisnetas.

Após se aposentar, no fim dos anos 1980, Gerri sofreu com um câncer de mama e, depois, um tumor no intestino. Recuperou-se de ambos com tratamentos e cirurgias.

Em maio, ela se sentiu mal e teve febre. No hospital, recebeu o diagnóstico de coronavírus. Suas filhas ficaram preocupadas, devido à idade da mãe, mas Gerry se recuperou bem e não teve complicações, de acordo com a rede de TV CNN.

Questionada sobre o segredo para viver tanto e com saúde, a aposentada diz que busca manter o bom humor e não se preocupar muito com as coisas. E que adora beber vinho tinto.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.