'Bolsonaro tem medo de ser ofuscado pela chama de uma vela'

'Esse cidadão só sabe ser do contra?'

O novo
Será que esse cidadão só sabe ser contra? O mundo todo está em quarentena, mas aqui, esse cidadão insiste numa manifestação, que além de estúpida, está se tornando antipática. Iremos, realmente, entrar numa grave recessão, mas a vida sempre valerá mais que qualquer coisa (“Em posse de Teich, Bolsonaro defende abertura de fronteiras e comércio e critica governadores”, Cotidiano, 17/4).
Paulo Ferro (Teresina, PI)

O ministro da Saúde Nelson Teich - Folhapress


Como todo medíocre, o sr. Bolsonaro é paranoico e tem medo de ser ofuscado pela chama de uma vela. Opaco e despreparado (“Para evitar protagonismo de Teich, Bolsonaro quer gestão compartilhada com militares”, Saúde, 17/4).
Luciano Neder Serafini (Ribeirão Preto, SP)



O presidente está podando o dr. Teich já no início de sua gestão. O segundo escalão e a política que será adotada para o combate ao coronavírus serão escolhidos também por outros que não ele? Não pode formar a sua própria equipe? Em que condições vai trabalhar? Boa sorte, doutor, e seja firme como o Mandetta foi.
Antonio Pedro Zago (Atibaia, SP)


Quarentena em São Paulo
Se você abre mão da sua liberdade esperando que o Estado cuide da sua saúde, você vai acabar sem liberdade e sem saúde. A mesma afirmação segue com nexo, é válida se substituirmos a palavra saúde por outras, tais como: finanças, segurança, educação, lazer, entre outras.
Danilo Pascoal da Silva (São Paulo, SP)

De que adianta o decreto do governador, se os prefeitos do interior podem emitir decreto municipal no sentido contrário para reabrir o comércio (“Quarentena em São Paulo é prorrogada até 10 de maio”, Cotidiano, 17/4)? E Governo Federal silente. Quanta bagunça!
Artur dos Anjos Todorov (São José do Rio Preto, SP)Hospital lotado



Depois de ler uma reportagem primorosa em detalhes, repleta de humanidade e chocante sobre a realidade, que pode piorar muito nas próximas semanas, o melhor a fazer é compartilhar com o máximo de negacionistas possível. Quanto mais gente conseguirmos para o lado da realidade, mais contribuímos com um grão de areia para salvar vidas (“Coronavírus lota hospital Emílio Ribas, e médicos correm para evitar escolher quem morre”, Cotidiano, 16/4).
Diogo de Sá Leitão Marques (Recife, PE)

Que reportagem primorosa e igualmente assustadora.
Celso Luís Gallo (Ribeirão Bonito, SP)

Excelente reportagem. Só não gostei da parte da cloroquina. Não funciona. Precisa ser a hidroxicloroquina. Não entendo por que em vez de ampliarem o estudo do grupo de Marselha, insistem no que não deu certo.
Ulrich Lingner (São Paulo, SP)

Feminicídio
O aumento dos casos de feminicídios no estado de São Paulo nos mostra mais uma preocupação com relação aos efeitos que essa pandemia nos deixa como herança (“Mortes de mulheres em casa dobram em SP”, Saúde, 15/4). Tempos difíceis, que podem piorar.
João Antônio Micheletti (Santos, SP)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.