Leitores comentam soltura do traficante André do Rap

Incêndios são tema de comentários

STF e PCC
O Brasil virou um covil ("André do Rap é incluído em lista de procurados do Ministério da Justiça", Painel, 13/10).
Luiz Alberto Serenini Prado (Goiânia, GO)

André Oliveira Macedo, conhecido como André do Rap - Divulgação


O ministro Marco Aurélio simplesmente esqueceu que direito, acima de tudo, é bom senso.
Laertes Nardelli, advogado (Blumenau, SC)

*

Não fosse o Brasil o país do tapinha nas costas, Marco Aurélio seria julgado por seus pares e receberia advertência verbal, como acontece com qualquer trabalhador que vive fora da ilha da fantasia ("Supremo marca para quarta-feira julgamento no plenário sobre soltura de André do Rap" (Poder, 13/10).
Maurílio Polizello Júnior (Ribeirão Preto, SP)

*

Acho ótimo que Marco Aurelio tenha tomado essa decisão. Serviu para mostrar como o nosso sistema judiciário precisa urgentemente de uma força tarefa para colocá-lo no século 21.
Maria Elza Sigrist (Campinas, SP)

Estarrecedor que tenhamos um ministro do STF como um mero despachante de lei —coisa que qualquer pessoa poderia fazer sem ter que carregar nas costas uma enorme mala de títulos e trabalhos reconhecidamente ilustres. Um juiz tem que ponderar, examinar com atenção, informar-se, compartilhar informações com seus pares. Soltar um criminoso de alta periculosidade com uma canetada é de deixar os brasileiros atônitos.
Regina Ulhôa Cintra (São Paulo, SP)

*

O ministro Marco Aurélio Mello pode ter dado uma enorme contribuição para o aprimoramento do nosso sistema jurídico. Ao julgar apenas com base na letra fria da lei, sem considerar as circunstâncias que cada caso envolve, ele nos mostra que pode ser substituído por um algoritmo, capaz de fazer o trabalho muito mais rapidamente e de forma muito mais barata.
Alex Strum (São Paulo, SP)


Tênis
Espetacular a conquista da tenista polonesa Iga Swiatek ao vencer Roland Garros ("Polonesa Swiatek vence Roland Garros de forma dominante aos 19 anos", Esporte, 10/10). O Consulado Honorário da República da Polônia em São Paulo tem o orgulho e a alegria de comunicar essa façanha.
Andrés Bukowinski, cônsul honorário da Polônia (São Paulo, SP)

A polonesa Iga Swiatek com o troféu de Roland Garros - Thomas Samson/AFP

Covid e Bolsonaro
"'Efeito Bolsonaro' sobre alta nos casos de coronavírus surpreende pesquisadores" (Saúde, 13/10). Se verdade for, não caberia responsabilidade sobre isso ao chefe da nação? Onde está o Ministério Público Federal?
José Alexandre Fachini Oliveira (Guararema, SP)

Infelizmente, o estrago está feito. O único fator positivo é que essa pessoa que está na Presidência terá bem menos votos no futuro e poderá ser extirpado de nossas vidas definitivamente!
Henrique Oliveira (Cascavel, PR)


Wal e Bolsonaro
Moro em Angra dos Reis e vejo que, ao que tudo indica, essa senhora será eleita como vereadora da cidade. Será premiada por preservar Jair Bolsonaro e mentir para o jornal sobre sua verdadeira função na localidade.
João Geraldo Souza (Angra dos Reis, RJ)

Wal e Carlos (esq) e Jair Bolsonaro
Carlos Bolsonaro (esq.), Wal do Açaí e Jair Bolsonaro - Facebook

Doria
"Muito obrigada", senhor governador João Doria, por diminuir (ainda mais) o nosso salário, descontando mensalmente contribuição previdenciária. Sou professora aposentada há mais de 20 anos, prestes a completar 80 anos de vida, e ainda tenho que pagar "previdência"... Para quem? Trabalhei e contribuí por quase 30 anos. Por que o senhor não tira do seu salário e dos ilustres deputados todas as suas mordomias? O senhor acha justo tirar de quem já ganha tão pouco pelos tantos anos de um bom trabalho?
Maria Amélia Sadi, professora (Batatais, SP


Bugio calcinado
É horripilante, repugnante e infernal a imagem depressiva do bugio calcinado, exposta como surrealismo do século 21 na Primeira Página da Folha deste domingo (11/10). A fotografia correrá o mundo. Indaga-se como admite o titular do soberano poder da nação --o povo-- conviver com incêndios de florestas que geram bugios calcinados e nada fazer. Este governo nada faz, nada fiscaliza e permite que surjam imagens como essa agora.
Amadeu R. Garrido de Paula (São Paulo, SP)

Corpo de um macaco bugio carbonizado por um incêndio florestal que atingiu a fazenda Santa Tereza, na região da Serra do Amolar, no Pantanal de Mato Grosso do Sul. - Lalo de Almeida/Folhapress


Concordo com promotora de Justiça de São Paulo Patricia Aude, que sugere à Folha republicar todos os dias a foto do bugio calcinado até que o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, seja demitido do cargo (Painel do Leitor, 13/10).
Henrique Ventura dos Reis (Rio de Janeiro, RJ)

Passa tudo

Charge do leitor João Garcia mostra floresta queimada - João Garcia


"Por detrás daquele morro / Passa boi, passa boiada" (Parlenda)
João Garcia (São Paulo, SP)

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.