Brasil está orgulhoso de ser pária, diz leitor

Leitores comentam os recordes de mortes pela Covid

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Pária

Ilustração de Carlos Iotti - Carlos Iotti


Em um mundo globalizado que combate a pandemia, o Brasil está orgulhoso de ser pária, negando tudo em nome do fundamentalismo religioso e da ignorância obtusa de um desgoverno de mentecaptos.
Paulo Sérgio Arisi (Porto Alegre, RS)


Recordes, recordes
"País tem 4.211 mortes por Covid em 24 horas" (Saúde, 6/4). Enquanto isso, os EUA irão iniciar a vacinação de jovens. E o nosso negacionista troca ministros e tenta se salvar de seu destino inexorável.
Rinaldo Bastos Vieira Filho (Belo Horizonte, MG)


Não foi por falta de aviso. Os cientistas alertaram para este massacre dos brasileiros. Fica aqui registrada a minha indignação e a pergunta aos políticos, liderados pelo presidente da Câmara: vocês só estão interessados nos cargos deste desgoverno que despreza a vida humana? Vocês estão esperando o quê para tomar uma medida efetiva? Atingirmos 500 mil mortes?
Zaura Maria Carelli (Foz do Iguaçu, PR)

"SP tem 1.389 mortes por Covid-19 em 24 h e bate novo recorde" (Mônica Bergamo, 6/4). Querer exportar a Covid para os municípios vizinhos com a implantação do feriados prolongados é um ato criminoso. Quanto tempo ainda vamos conviver com dois "serial killers"?
Harry Rutzen Júnior (São Paulo, SP)

Com a baixíssima adesão ao distanciamento social, não poderia ser diferente. Mas como é possível ter mais adesão se o genocida de Brasília estimula as pessoas a saírem de casa e oferece um auxílio emergencial de fome?
Daniel Alvares (São Paulo, SP)


Fatos distorcidos

Leitos de pacientes com Covid-19 no Centro de Eventos de Chapecó no início de março de 2021 - Reprodução/MPF


"Prefeito de Chapecó distorce fatos ao atribuir redução de números da Covid a tratamento precoce" (Saúde, 6/4). O combate à Covid em Santa Catarina, base do kit precoce, é uma vergonha. Joinville, com 598 mil habitantes, tem 1.050 mortos; Florianópolis, com 509 mil habitantes, tem 800 mortos; Blumenau, com 361 mil habitantes, tem 425 mortos. No oeste, Chapecó, 224 mil habitantes, 535 mortos; Xaxim, 29 mil habitantes, 92 mortos; Xanxerê, 51 mil habitantes, 129 mortos.
Cristina Dias (Curitiba, PR)


Férias e auxílio
Gastos com as férias de Bolsonaro bancariam um auxílio de R$ 600 a 3,8 mil brasileiros ("Bolsonaro gastou mais de R$ 2 milhões em viagens de férias na pandemia", Poder, 3/4).
Luiz Alves (João Pessoa, PB)


Decadências
Excelente o texto de Michael França ("O que a decadência do Brasil tem em comum com a do futebol?", Mercado, 6/4). Enfoca com rara felicidade o quadro social e econômico do Brasil a partir do futebol e o comportamento da classe dominante.
Hugo Pontes (Poços de Caldas, MG)

Dia do Jornalista
Neste 7 de abril, parabenizo todos os jornalistas do Brasil, principalmente os da Folha, por nos proporcionarem notícias e atualizações que nos mantêm sempre informados.
Marcos Fernandes de Carvalho (São Paulo, SP)


Volta às aulas
Concordo com Guilherme Boulos ("Volta às aulas?", Opinião, 6/4) quando diz que deveríamos esperar para abrir as escolas. Muitas delas não têm condições de assegurar que todas as normas de distanciamento sejam cumpridas; e, mesmo que tivessem, ainda seria uma má ideia, pois muitas vezes os próprios alunos —crianças e adolescentes-- não seguem o distanciamento.
Bernardo Fonseca do Nascimento, aluno do ensino médio (Curitiba, PR)

Boulos resume o que nós, da educação, estamos vivendo desde o retorno das aulas presenciais em fevereiro. A morte é um assunto constante entre nós; nossas redes sociais viraram um grande obituário diário. Não dá pra retornar com esse alto número de contágios e mortes. Queremos viver, apenas isso.
Geraldo dos Santos Júnior, professor da rede pública municipal (São Paulo, SP)


Cultos presenciais
"Ministro Kassio Nunes libera cultos e missas no país, em meio a medidas restritivas da Covid" (Saúde, 4/4). Fica a impressão de que o ministro calouro não sabe que o dízimo pode ser pago via Pix.
Edilson Virgílio da Cruz (Salvador, BA)

Igreja
Do alto de minha cristandade, digo ao senhor David Molero (Painel do Leitor, 6/4) que nunca recebi benefícios econômicos, sociais ou espirituais da igreja. Pelo contrário, houve um tempo que contribui financeiramente para a instituição. Saliento ainda que a humanidade passaria muito bem sem ela.
Maurílio Polizello Junior (Ribeirão Preto, SP)

Terrível ofensa à ressurreição de Cristo e aos cristãos a tirinha de Estela May desta terça (Ilustrada, 6/4). A pretensa artista se revela grosseira e com enorme desrespeito pelos leitores. Lamentável o jornal oferecer-nos tal tipo de "humor".
Fernando Versiani dos Anjos (Belo Horizonte, MG)


Adriano da Nóbrega
As provas do envolvimento do clã Bolsonaro com o capitão Adriano estão nos celulares deste. É uma vergonha a Polícia Civil esconder esses dados. A Polícia Federal deve interferir nas investigações para esclarecer o envolvimento das milícias no Estado brasileiro.
Rui Versiani (São Paulo, SP)

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.