Leitores comentam almoço de Bolsonaro com empresárias e CPI da Covid

Impeachment de Witzel também está entre temas comentados

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Primeiro de Maio
Temos poucos motivos para comemorar este 1º de Maio, principalmente em razão da cruel pandemia do coronavírus que no Brasil matou mais de 400 mil pessoas e da grave crise que assola o país. Nossa categoria, a dos padeiros, confeiteiros e balconistas, é a que oferece aos trabalhadores que vão para o trabalho e à população em geral a primeira refeição do dia. A eles dedico, como sempre e com muito orgulho, minha homenagem. Mas também aos profissionais da saúde que, com muita coragem e determinação, estão colocando todo o conhecimento no combate à Covid-19.
Chiquinho Pereira, presidente do Sindicato dos Padeiros de São Paulo

Almoço com empresárias
“Guedes não apita em política, afirma Bolsonaro a executivas” (Mercado, 1º/5). Executivas que envergonham as paulistas, babando para esse presidente que despreza os seres humanos e a natureza. Gostaria de saber o que justifica esse desagravo para cada uma dessas mulheres, ou melhor, quero saber o que as tornou tão alienadas e insensíveis.
Sônia Maria Foresto Crispim (Ribeirão Preto, SP)

Nossa elite permanece desconectada com o que passa com o país.
Otavio Paiva (Juiz de Fora, MG)

O presidente Jair Bolsonaro posa para foto com empresárias
O presidente Jair Bolsonaro posa para foto com empresárias - Alan Santos/PR

Por quê?
Se os outros 512 deputados federais e os 81 senadores, a uma só voz, fizessem as mesmas perguntas que a deputada Tabata Amaral fez ao Bolsonaro (“Por que Bolsonaro?”, Opinião, 1º/5), estariam, aí sim, honrando os mandatos e representando honestamente os eleitores. Mas falta muita hombridade para a maioria deles.
Luiz Simões Berthoud (Tremembé-SP)

Por que, Tabata, bons políticos como você, nossos representantes, demoraram tanto para se indignar?
Sérgio Augusto Picchi (Limeira, SP)

O que teria sido do Brasil se o governo de São Paulo não tivesse, no início da pandemia, seguido as orientações da ciência e buscado a vacina que hoje temos à disposição do país?
Sylvia dos Santos (Jaboatão dos Guararapes, PE)

Tabata já está pensando e escrevendo por meio de perífrases. Logo logo se filia ao PSDB.
Júlio Cézar B. Silva (Fortaleza, CE)

200 vezes
“CPI levanta mais de 200 falas negacionistas de Bolsonaro” (Poder, 1º/5). E há alguma dúvida de que Bolsonaro é o maior responsável pela situação a que chegamos com o coronavírus e pelas consequentes mortes? Ele incentivou o caos, que só não foi maior pela ação dos governadores que, apesar de toda a tentativa de obstrução do desgoverno federal, agiram para salvar vidas.
Humberto Giovine (Erechim, RS)

Interessante, até uma criança já sabia dessas falas. Por que ninguém fez absolutamente nada antes? O ditado de quem cala consente não se aplicaria aqui?
Tersio Gorrasi (São Paulo, SP)

Precisamos de algo como o Tribunal de Nuremberg para lidar com os crimes da pandemia, não apenas de Bolsonaro e seus ministros, mas de muitos médicos, influenciadores, pessoas da mídia, que contribuíram para o assassinato em massa de mais de 400 mil pessoas, fora os milhões de sequelados.
Paulo Renato Nunes de Oliveira (Rio de Janeiro, RJ)

E mesmo assim continua enganando a população sem o menor pudor.
Helcio Toth (Carapicuíba, SP)

Flórida
“Pandemia e dólar alto fazem brasileiros abandonarem a Flórida” (Mundo, 1º/5). Uai, não era esse pessoal que reclamava quando o dólar estava a R$ 2? Reclamavam por ver pobre no aeroporto, viajando de avião, “aeroporto parece rodoviária, que horror”, diziam. Recentemente, Paulo Guedes falou: “Tinha empregada doméstica indo para a Disney, uma festa danada”.
Mário Donizete Pelissaro (Atibaia, SP)

Estão com medo da taxação das fortunas. Logo mais vão dizer que Joe Biden é comunista.
Ana Pi (São Paulo, SP)

Olha que ironia. A elite incomodada com a viagem das empregadas à Disney voltando ao Brasil. Hey, brasileiros do sonho americano, deem um pulo em Cachoeiro do Itapemirim (ES), segundo Paulo Guedes, a cidade do rei Roberto Carlos é muito bonita, vale um período sabático e nem precisa de visto.
Bruno Moreira dos S. Batista (São Paulo, SP)

10 a 0
“Por 10 a 0, tribunal aprova impeachment de Witzel e suspende direitos políticos” (Poder, 1º/5). É muito provável que a deposição de Witzel esteja conectada a seu rompimento com o presidente, entretanto, é justa, ainda que por linhas tortas. Num país decente ele seria expulso quando montou num helicóptero para fazer pirotecnia policialesca, numa operação na qual dispararam tiros que quase mataram diversos evangélicos (possivelmente seus eleitores).
Vanderlei Vazelesk Ribeiro (Rio de Janeiro, RJ)

Os cariocas e fluminenses têm um talento especial para escolher os piores candidatos possíveis. Desde Carlos Lacerda só teve demagogo, corrupto e incompetente. Como disse a autora Elizabeth Bishop: “O Rio de Janeiro não é uma cidade maravilhosa, é uma paisagem maravilhosa para uma cidade”. Tudo que não funciona no país lá funciona pior ainda.
Peter Janos Wechsler (São Paulo, SP)

Witzel será condenado com base apenas em delação? Espero que existam provas. O caso de Lula foi emblemático e, mesmo que eu não tenha simpatia pelo governador, não quero que seja condenado sem provas. Por outro lado, esquenta a alma ver esse impeachment, pelo mau caráter demonstrado em várias ocasiões, a pior delas, ter participado da quebra da placa em homenagem a Marielle.
Vera Maria da Costa Dias (Porto Alegre, RS)

Futebol
Breve e fino: na condição de admirador e assinante deste hebdomadário diário (tenho 79 anos), venho modestamente pleitear que vossas senhorias ampliem o espaço de esportes, dando ênfase maior ao futebol de outros estados, especialmente o carioca, do eterno Fluminense.
Carlos Alberto de Oliveira Joppert (Juiz de Fora, MG)

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.