Apple é multada na França por restringir funções de iPhones antigos

Donos aparelhos, ao instalar sistemas, não sabiam que dispositivo ficaria mais devagar

Paris | AFP

A Apple levou uma multa de € 25 milhões (R$ 118,2 milhões) na França por práticas enganosas ao restringir as funções de iPhones antigos.

A companhia americana aceitou a multa e publicará uma declaração sobre a questão, de acordo com a direção geral de concorrência, consumo e repressão à fraude da França.

"Estamos felizes com esta resolução", disse o grupo, que com isso evitará processos judiciais.

A investigação, iniciada em janeiro de 2018 pela promotoria de Paris a pedido de uma associação com mais de 15 mil testemunhos, dizia respeito ao envelhecimento prematuro e voluntário dos antigos modelos de iPhones.

A Apple comercializa quase todos os anos um novo modelo de seu telefone e reconheceu, no final de 2017, que restringia algumas das funções dos modelos antigos, mas para prolongar o tempo de uso, e não forçar os consumidores a comprar um novo modelo.

No entanto, a investigação deixou claro que os proprietários desses iPhones antigos "não foram informados de que as atualizações do sistema operacional iOS que estavam instalando significavam que o dispositivo estava funcionando cada vez mais devagar". Especialmente no caso daqueles que tinham baterias um pouco antigas.

"E como não puderam retornar ao sistema antigo, muitos consumidores foram forçados a trocar a bateria ou comprar um novo telefone", explicou a autoridade francesa sobre concorrência.

A Apple enfrenta outros procedimentos legais em países como Itália ou Estados Unidos.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.