Descrição de chapéu Moda Praia Folha Verão

Praia do Saquinho é tesouro isolado em Florianópolis

O norte da ilha é a região mais concorrida, mas é no sul que se escondem suas praias desertas

A praia do Saquinho, em Florianópolis (SC)
A praia do Saquinho, em Florianópolis (SC) - Roberto de Oliveira/Folhapress
Roberto de OIiveira

​Ponto de encontro de veranistas brasileiros e argentinos, Florianópolis tem praias de características muito diferentes entre si, que podem agradar distintos perfis de viajantes.

O norte da ilha é a região mais concorrida, mas é no sul que se escondem seus maiores tesouros: as praias preservadas da ação humana. Lagoinha do Leste, por exemplo, sem exagero considerada uma das mais belas do país, só se oferece àqueles que topam enfrentar uma trilha ou uma travessia de barco.

Vale a pena desbravar a área sul de Florianópolis. Quando você topar com o encanto de uma praia pequenina e deserta terá compensado qualquer tipo de esforço.

A praia do Saquinho é uma dessas surpresas. Para chegar lá, deve-se tomar a estrada asfaltada até o Pântano do Sul, virar à direita em direção à praia dos Açores e seguir para a praia da Solidão. Nesta, cercada por morros ainda intactos, um pequeno rio desemboca no mar.

O visitante vai, então, seguir adiante por alguns metros e, depois, cruzar a ponte sobre o rio das Pacas para alcançar uma trilha calçada de concreto, que margeia uma encosta ao longo do morro do Trombudo.

É ali que começa a surgir o festival de vistas do sul da ilha, uma mais deslumbrante que a outra.

Bem marcado, o início da trilha do Saquinho é um pouco inclinado, mas de fácil execução. São cerca de 30 minutos de caminhada.

Apesar da tentação, não convém se distrair ao caminhar: os teiús tomam banho de sol tranquilamente sobre as pedras, enquanto as aranhas cruzam de um lado para o outro. Também há ninhos de passarinhos por todos os lados.

De um dos mirantes, avistam-se com clareza as praias da Solidão, de Açores e do Pântano do Sul. Em outras paradas, mira-se, lá embaixo, a praia do Saquinho.

No momento em que começa a descida em direção à praia, é preciso redobrar a atenção, porque os blocos de cimento na trilha podem estar escorregadios —a mata atlântica nesse trecho da ilha é farta e inibe a incidência direta de luz solar, favorecendo ainda mais a umidade.

Não é recomendável, portanto, fazer a trilha de chinelos. As havaianas vão na mochila, para serem usadas apenas na areia.

A praia do Saquinho fica situada numa área de preservação ambiental. Voltada para o oceano Atlântico, possui uma faixa pequenina, com cerca de 80 metros de areia branca e fina, e ondas que fazem a alegria da galera do surfe. Amendoeiras e outras árvores compõem um jardim sombreado à beira-mar.

No canto direito, blocos de pedra ajudam a manter intocada a paisagem. Geralmente, a água clara, de tom azul-turquesa, está fria.

Na parte alta, comunidades de pescadores ainda conservam costumes nativos. Durante a temporada de verão, algumas famílias improvisam bares em suas casas, com bons petiscos para atender aos turistas.

Ali, só se trabalha com dinheiro vivo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.