Painel

Editado por Guilherme Seto (interino), espaço traz notícias e bastidores da política. Com Danielle Brant

Salvar artigos

Recurso exclusivo para assinantes

assine ou faça login

Painel
Descrição de chapéu Itamaraty oriente médio

Brasil perde ao adotar contorcionismo sobre Irã, diz presidente de Comissão de Relações Exteriores

Deputado Lucas Redecker (PSDB-RS) afirma que país não pode hesitar em condenar ataque como o feito contra Israel

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Brasília

O presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados, Lucas Redecker (PSDB-RS), criticou a nota emitida pelo governo brasileiro sobre os ataques do Irã com drones e mísseis contra Israel e afirmou que o país perde ao adotar "contorcionismo retórico" sobre o tema.

Na segunda-feira (15), o próprio ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, reconheceu que o posicionamento foi feito quando a extensão da ofensiva iraniana ainda não estava clara.

Sistema antiaéreo em funcionamento em Israel durante o ataque do Irã
Sistema antiaéreo em funcionamento em Israel durante o ataque do Irã - Tomer Neuberg/JINI via Xinhua

Redecker diz estar preocupado com uma possível escalada das tensões na região. "O Brasil, por sua tradição e peso diplomático, não pode hesitar em condenar um ataque como este, dirigido contra uma população civil", afirma. "Um ataque com drones e mísseis deve ser duramente condenado e foi o que fizeram as potências ocidentais, com exceção do Brasil, lamentavelmente".

O deputado afirma que, mesmo que o Irã tenha recorrido a artigo de legítima defesa da ONU, "todos sabem que o seu regime defende, assim como o Hamas e o Hezbollah, a destruição completa de Israel."

"Portanto, não se pode aceitar como natural esse tipo de ação ou resposta", afirma. "O Brasil perde muito ao adotar um contorcionismo retórico quando o mundo todo condena o ataque, inclusive países muçulmanos", ressalta. O parlamentar disse também estar preocupado com a possibilidade de a política externa do país estar "sendo substituída pelo pensamento de um partido político no poder".

LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.