A Casa do Porco está entre os 50 melhores restaurantes do mundo

Restaurante de Jefferson Rueda foi da 79ª para a 39ª colocação no ranking World's 50 Best

São Paulo

O restaurante A Casa do Porco, do chef Jefferson Rueda, é o único brasileiro entre os 50 melhores restaurantes do mundo eleitos pela revista britânica Restaurant.

O resultado foi anunciado nesta terça-feira (25), durante uma cerimônia em Cingapura. Da 79ª posição, registrada no ano passado, ele subiu para a 39ª.

Tido como o “Oscar da gastronomia”, o World’s 50 Best é uma compilação anual. Apesar de se chamar 50 melhores, o ranking vai além da meia centena  —neste ano, por exemplo, foram 120 listados. 

O melhor restaurante do mundo, de acordo com o ranking, é o francês Miranzur. Comandado pelo chef argentino Mauro Colagreco, ele estava em 3º lugar no ano passado

Parte da lista já havia sido revelada. Na última terça-feira (18) o prêmio divulgou os últimos colocados —da 51ª posição até a 120ª. Como o restaurante de Rueda não apareceu, já havia uma expectativa da casa de entrar na seleção principal.

Inaugurada em outubro de 2015, já com o salão lotado, a casa tem o porco como principal ingrediente. Localizado no centro de São Paulo, o misto de bar e restaurante oferece desde sushi feito com papada de porco até uma interpretação mais delicada do virado à paulista. É o primeiro restaurante da região central da cidade a atingir tal reconhecimento. 

O estabelecimento de Rueda vai bem à frente das outras casas brasileiras. Antigo habitué do ranking, o D.O.M., do Alex Atala, caiu 24 posições. Da 30ª posição, registrada no ano passado, ele desceu para a 54ª. 

O D.O.M., que celebra 20 anos em 2019, apareceu na lista da Restaurant pela primeira vez em 2006, em 50° lugar. A melhor marca da casa de Alex Atala foi atingida em 2012, quando ficou em 4º lugar. 

Outro paulistano da lista, o Maní, da chef Helena Rizzo, subiu do 83º lugar para o 73º. 

Duas casas do Rio de Janeiro também apareceram na lista. O Lasai, do chef Rafa Costa e Silva, ficou na 74ª posição. Já o restaurante Oteque, do chef Alberto Landgraf, ficou no 100º lugar. É a estreia da casa no ranking.


Conheça a lista completa dos 50 melhores restaurantes do mundo

1º lugar: Mirazur (Menton, na França)

2º lugar: Noma (Copenhague)

3º lugar: Asador Etxebarri (Axpe, na Espanha)

4º lugar: Gaggan (Bangcoc)

5º lugar: Geranium (Copenhague)

6º lugar: Central (Lima)

7º lugar: Mugaritz (San Sebastian, na Espanha)

8º lugar: Arpège (Paris)

9º lugar: Disfrutar (Barcelona)

10º lugar: Maido (Lima)

11º lugar: Den (Tóquio)

12º lugar: Pujol (Cidade do México)

13º lugar: White Rabbit (Moscou)

14º lugar: Azurmendi (Larrabetzu, Espanha)

15º lugar: Septime (Paris)

16º lugar: Alain Ducasse au Plaza Athénée (Paris)

17º lugar: Steirereck (Viena)

18º lugar: Odette (Cingapura)

19º lugar: Twins Garden (Moscou)

20º lugar: Tickets (Barcelona)

21º lugar: Frantzén (Estocolmo)

22º lugar: Narisawa (Tóquio)

23º lugar: Cosme (Nova York)

24º lugar: Quintonil (Cidade do México)

25º lugar: Alléno Paris au Pavillon Ledoyen (Paris) 

26º lugar: Boragó (Santiago)

27º lugar: The Clove Club (Londres)

28º lugar: Blue Hill at Stone Barns (Pocantico Hills, nos Estados Unidos)

29º lugar: Piazza Duomo (Alba, na Itália)

30º lugar: Elkano (Getaria, na Espanha)

31º lugar: Le Calandre (Pádua, na Itália)

32º lugar: Nerua (Bilbao, na Espanha)

33º lugar: Lyle’s (Londres)

34º lugar: Don Julio (Buenos Aires)

35º lugar: Atelier Crenn (San Francisco)

36º lugar: Le Bernadin (Nova York)

37º lugar: Alinea (Chicago)

38º lugar: Hiša Franko (Eslovênia)

39º lugar: A Casa do Porco (São Paulo)

40º lugar: Tim Raue (Berlim) 

41º lugar: The Chairman (Hong Kong)

42º lugar: Belcanto (Lisboa)

43º lugar: Hof Van Cleve (​Kruisem, Bélgica)

44º lugar: The Test Kitchen (Cidade do Cabo)

45º lugar: Sühring (Bangkok)

46º lugar: De Librije (Holanda) 

47º lugar: Benu (San Francisco)

48º lugar: Ultraviolet by Paul Pairet (Xangai) 

49º lugar: Leo (Bogotá) 

50º lugar: Schloss Schauenstein (Fürstenau, Suíça)​

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.