Descrição de chapéu Folha Verão

Todas as praias de Ilhabela estão com águas poluídas

Cidade turística acumula bandeiras vermelhas em sua orla, indicando que local é impróprio para banho

São Paulo

Todas as praias de Ilhabela, no litoral norte de São Paulo, amanheceram com bandeiras vermelhas nesta quarta-feira (30). Isso significa que elas estão impróprias para banho devido a alta concentração de poluição fecal, segundo a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo).

Desde o início do verão, tem sido um desafio escolher a melhor praia para passar o dia no arquipélago. A sinalização na cor verde, indicativo de que a água está própria para banho, tem aparecido em poucas praias. 

Já a indicação de água poluída está presente em pontos famosos, como as praias da Feiticeira e da Ilha das Cabras, na parte sul de Ilhabela

Não é a primeira vez que todas as praias ficam impróprias na ilha. Já houve situações semelhantes nos verões de 2017 e 2018, segundo a Cetesb. A piora da balneabilidade está associada às chuvas intensas de novembro a final de janeiro —só no último sábado (26) e domingo (27), Ilhabela registrou cerca de 50 mm de chuva.

De acordo com o órgão estadual, os temporais carreiam para a praia as águas difusas [poluídas] com dejetos gerados pelo esgoto não coletado, a exemplo das áreas irregulares com lançamento de esgoto em cursos d’água, que aumentaram junto com o crescimento populacional da ilha —de 15 mil para 40 mil pessoas, nos últimos 15 anos.

Mesmo o esgoto coletado não recebe o tratamento indicado, consequência direta do saneamento deficiente do arquipélago. No balneário, os rejeitos passam apenas pela primeira de três fases de tratamento e retira somente os resíduos sólidos mais grosseiros, como fraldas e absorventes.

O restante recebe cloro e é jogado na água do mar por emissário submarino localizado a cerca de 800 metros da praia de Itaquanduba, no norte da ilha.

Ela ocupa o segundo lugar no ranking de praias que passaram mais tempo impróprias para banho em 2018, e foi reprovada em 46% das análises feitas pela Cetesb.

Em 2017, o órgão estadual contabilizou apenas uma praia em Ilhabela que passou de 25 a 50% do ano com bandeira vermelha. No ano passado, a medição apontou quatro praias nessa situação: Itaquanduba, Itaguaçu, Perequê, Ilha das Cabras e Portinho.  

No total, mais de metade das praias de Ilhabela foi considerada imprópria para o banho ao longo de quatro semanas em 2018, distribuídas nos meses de fevereiro, novembro e a lista aumentou agora, entre dezembro e janeiro, períodos que coincidem com o aumento da população devido a chegada dos turistas, que "também contribui negativamente nas condições de balneabilidade", segundo nota da Cetesb.

De acordo com a Prefeitura de Ilhabela, sob gestão de Márcio Tenório (MDB), faz 20 anos que as bandeiras vermelhas se multiplicam neste período e "não é justo atribuir a falta de atenção com o saneamento e o abastecimento ao aumento de turistas".

A gestão municipal diz estar construindo novas Estações de Tratamento (ETE) de esgoto, e que aguarda o licenciamento da Cetesb para construção de uma adutora —tubulação que alimentará de água do norte ao sul do arquipélago.

A prefeitura diz ainda que "recentemente obteve o compromisso do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, da secretaria estadual, Sabesp e Cetesb, para agilizar todos os projetos e investimentos voltados à universalização do saneamento na cidade".

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.