Homem que esteve na Itália é o 1º caso de coronavírus no Rio Grande do Sul

Paciente havia viajado para Milão e seu quadro é leve; casos confirmados chegam a 31

São Paulo

Um homem de 60 anos que mora na cidade de Campo Bom (RS) é a primeira pessoa do Rio Grande do Sul a receber diagnóstico de covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus.

Ele viajou para Milão, na Itália, entre 16 e 23 de fevereiro, começou a sentir febre e ter tosse em 29 de fevereiro e procurou uma clínica privada no dia seguinte. Como tinha sintomas leves, foi aconselhado a ficar em casa em isolamento domiciliar e foi monitorado pela vigilância epidemiológica.

A Itália, que passa por um surto da covid-19 e é o segundo país com mais casos da doença, proibiu, na noite de segunda (9), a circulação de pessoas pelo país, um esforço que busca conter o avanço do novo coronavírus.

Depois que seus exames deram negativo para os vírus respiratórios mais comuns no país, a análise para coronavírus foi feita, no dia 9 de março, e deu positivo para o Sars-CoV-2.

Seu quadro é leve e nenhum familiar que mora no mesmo endereço apresentou sintomas.

Atualmente, há 31 casos de coronavírus confirmados no Brasil. Os casos confirmados estão distribuídos em sete estados: São Paulo (16), Rio de Janeiro (8), Bahia (2), Espírito Santo (1), Minas Gerais (1), Alagoas (1) e Rio Grande do Sul (1). Há também um caso confirmado no Distrito Federal.

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), afirmou, em coletiva de imprensa, que ainda há 86 possíveis casos sendo analisados no estado e outros 113 já foram descartados.

Leite pediu que, além das medidas de etiqueta de saúde básicas (como cobrir a boca com a dobra do braço ao tossir), a população evite compartilhar o chimarrão com outras pessoas, um hábito regional.

A secretária de Saúde do estado, Arita Bergmann, afirmou que já há planos de contingência contra o vírus em ação. Segundo a Bergmann, foi feita há uma nota técnica destinada à prevenção da circulação do Sars-CoV-2 em escolas estaduais e que há mais duas em produção, uma para casas de longa permanência de idosos e outra para presídios.​

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.