Sem Globo, final da Champions estará na TV fechada, Facebook e metrô

Pela primeira vez desde 2008 a decisão do torneio não será mostrada em canal aberto

São Paulo

​Pela primeira vez em dez anos, a final da Champions League não terá transmissão em TV aberta no Brasil. A Globo se recusou a fazer propostas para comprar os direitos de transmissão para o contrato que começou em 2018 e vai até 2021.

Será a primeira vez desde 2008 que a emissora não vai mostrar a final do torneio europeu.

Tempo real: Siga o jogo aqui

Band, Record, Rede TV! e Cultura, emissoras que nas últimas duas décadas mostraram a final em algum momento, também não apresentaram ofertas.

 

A partida deste sábado (1º) entre Tottenham Hotspur e Liverpool, ambos da Inglaterra, às 16h, terá transmissão para o Brasil pela Internet, na página do Esporte Interativo no Facebook e na TNT, canal do grupo Turner, em TV fechada.

As imagens da Turner também serão mostradas em 180 salas de cinema de 14 redes ao redor do Brasil, com venda de ingressos e endereços disponíveis no Cinelive. O preço do bilhete é R$ 68,39.

A cervejaria Heineken, uma das patrocinadoras do torneio, instalou quatro telões de led na estação Paraíso do metrô de São Paulo para exibir a partida. 

A Champions League é atrativa para as emissoras pela capacidade de atrair audiência em qualquer plataforma. Na partida de volta das semifinais deste ano, entre Liverpool e Barcelona (ESP), a TNT registrou a maior audiência de uma partida de futebol em TV fechada na história do país. Atingiu 8,17 pontos de audiência. 

A final do ano passado, entre Real Madrid (ESP) e Liverpool, fez a Globo registrar 23 pontos de audiência, com picos de 40 pontos em São Paulo. Somada à Band, que também mostrou a partida com imagens cedidas pela Globo, a marca foi de 28 pontos, recorde para a decisão do torneio no Brasil.

Em entrevista ao site SportBusiness, Hans Erik Tuij, responsável pelos patrocínios da Heineken, mostrou preocupação com a ausência de jogos da Champions League em TV aberta, o que poderá voltar a acontecer no Brasil apenas na final de 2022.

Os contratos de Facebook e da Turner são de exclusividade, e a próxima concorrência para a venda de direitos de TV está marcada para 2021. 

A transmissão de TV é uma das principais fontes de receita dos clubes que disputam a Champions League, torneio mais lucrativo para os clubes europeus.

Entre prêmios por participação, classificações em cada fase, coeficiente da Uefa (que enumera o desempenho da equipe nos últimos anos) e dinheiro de TV, o Liverpool arrecadou nesta temporada 107 milhões de euros (R$ 470 milhões), e o Tottenham, 102 milhões de euros (R$ 448 milhões).

Apenas na divisão do dinheiro pago pela TV, o Tottenham arrecadou mais. Embolsou 16,1 milhões de euros (R$ 70,7 milhões) contra 12,7 milhões de euros do Liverpool (R$ 55,8 milhões). Quem for campeão, receberá mais 4 milhões de euros (R$ 17,5 milhões).

Leia mais sobre a final da Champions League:

Sucesso anterior de argentino abriu portas do Tottenham a Pochettino

De esquerda, Klopp tenta chegar ao topo após quase virar jornalista

Dominante, futebol inglês flerta com volta ao passado com brexit

Herói discreto, Lucas superou pior fase da carreira por topo na Europa

Alisson tenta repetir sucesso recente de goleiros brasileiros na Champions

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.