São Paulo anuncia a contratação do lateral Daniel Alves

Jogador de 36 anos foi o capitão do Brasil no título da Copa América deste ano

São Paulo

O São Paulo anunciou na noite desta quinta-feira (1) a contratação do lateral direito Daniel Alves, 36. Capitão da seleção brasileira no título da Copa América deste ano, o jogador estava sem clube desde o fim de seu vínculo com o Paris Saint-Germain (FRA).

O contrato do atleta com a equipe do Morumbi vai até dezembro de 2022. O clube também anunciou que ele vestirá a camisa 10, que era de Nenê, transferido para o Fluminense.

Daniel Alves é são-paulino e já falou várias vezes em jogar no clube
São-paulino, Daniel Alves visitou o clube em 2012 e posou com a camisa do time - Divulgação

Em vídeo divulgado no Twitter oficial do clube, o lateral afirmou que escolheu voltar ao Brasil para defender o seu time do coração. 

"Eu poderia ter escolhido qualquer lugar para jogar, mas escolhi voltar para o Brasil, pelo meu país, pelo meu povo, pelo meu clube de coração. É irreal, mas estou aqui", afirmou o jogador.

Dono de 40 títulos, Daniel Alves é o jogador com mais conquistas na história do futebol, a última delas com a seleção brasileira. Na Copa América, herdou a braçadeira de capitão depois que Neymar foi cortado da convocação por uma lesão no tornozelo direito, sofrida ainda em amistoso preparatório contra o Qatar, em Brasília.

No PSG, seu último clube, o veterano lateral se sagrou campeão francês duas vezes (2017/2018 e 2018/2019), além de levantar taças da Copa da França (2017/2018), da Copa da Liga Francesa (2017/2018) e da Supercopa do país (2017).

"Daniel Alves é a personificação do que essa gestão vislumbra para o São Paulo. Um dos principais jogadores no mundo e reconhecido pelo seu imenso profissionalismo, por sua determinação ferrenha e sua sede interminável por títulos e vitórias", disse o presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco.

"Um dia disse ao Daniel que ele viria jogar no São Paulo, seu clube do coração. Hoje tenho a imensa alegria e orgulho de ter cumprido essa promessa", acrescentou o mandatário.

Revelado no Bahia, Daniel Alves saiu cedo do país para o futebol europeu. Contratado pelo Sevilla (ESP), se consolidou na Espanha e chamou a atenção do Barcelona (ESP), onde chegou em 2008 para a primeira temporada de Pep Guardiola à frente do time catalão.

Sob o comando do treinador, atingiu seu melhor nível e se tornou um dos principais nomes da equipe liderada por Xavi, Iniesta e Lionel Messi. No Barcelona, fez 391 jogos, marcou 21 gols e conquistou 23 títulos, entre eles três da Champions League e seis do Campeonato Espanhol.

Depois da Catalunha, o jogador atuou na Juventus (ITA), onde ficou somente uma temporada, o suficiente para deixar Turim com as conquistas do Campeonato Italiano e da Copa da Itália.

No Paris Saint-Germain, reencontrou Neymar, seu amigo pessoal e ex-companheiro de Barcelona.

Titular na França, teria sido também titular da seleção brasileira na Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Uma lesão, porém, o tirou da disputa do Mundial. Daniel Alves machucou o ligamento cruzado anterior do joelho direito em maio do ano passado, na vitória do PSG sobre o Les Herbiers, pela final da Copa da França, e só voltou aos gramados em novembro.

Ele foi eleito oito vezes para o time do ano da Fifa, cinco delas consecutivas (2011 a 2015), além de 2009, 2017 e 2018.

Aos 36 anos, o lateral não esconde a meta de disputar a próxima Copa do Mundo, em 2022, no Qatar, quando ele terá 39 anos.

"Meu objetivo é lutar para estar na Copa. Sei que ainda falta muito, mas na vida você tem que visualizar as coisas e se preparar para chegar até elas. A outra Copa ficou meio que engasgada por eu não ter ido, então me vejo em condições, pelo que faço no meu cotidiano, na preparação mental. Tudo é uma questão de preparação", disse, em entrevista à Folha, no início deste ano.

Daniel Alves chega a um São Paulo que tem problemas na lateral direita. Bruno Peres, contratado no ano passado, e Igor Vinícius, que chegou em 2019 ao Morumbi, não se consolidaram no time. Hudson, improvisado no setor, foi quem melhor rendeu na reta final do Campeonato Paulista deste ano, mas o volante informou ao técnico Cuca que não gosta de atuar como lateral.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.