Descrição de chapéu Campeonato Paulista 2020

Grandes tentam confirmar domínio recente sobre 'intrusos' no Paulista

Quarteto ocupou todas as vagas nas semifinais do Estadual em 2018 e 2019

São Paulo

Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo não são apenas as quatro principais forças do Campeonato Paulista na teoria como também têm confirmado, na prática, o domínio no Estadual, que começa nesta quarta-feira (22).

Nas últimas duas edições da competição, os quatro grandes do estado não permitiram "intrusos" entre os semifinalistas. A última vez que um deles ficou fora dessa fase foi em 2017, quando o Santos caiu precocemente no torneio e viu a Ponte Preta ocupar uma vaga ao lado de seus principais rivais.

Jogadores do Corinthians comemoram a conquista do Paulista de 2019, o tricampeonato seguido do clube
Jogadores do Corinthians comemoram a conquista do Paulista de 2019, o tricampeonato seguido do clube - Eduardo Anizelli/Folhapress

Apesar dessa demonstração recente de superioridade, se ampliada a análise para as últimas 20 edições do Paulista, não é tão comum que o quarteto forme o pelotão dos quatro melhores na reta final da competição.

Nos últimos 20 anos, além de 2018 e 2019, somente em 2015, 2011, 2009 e 2000 houve classificação dos quatro às semifinais.

O levantamento considera os Campeonatos Paulistas desde o ano 2000, com exceção dos torneios de 2002, quando o quarteto não participou por estar no Rio-São Paulo, e 2005 e 2006, que foram disputados em formato de pontos corridos.

De 2000 para cá, 18 clubes de fora do grupo chegaram à fase semifinal. Considerando as 17 edições analisadas, isso mostra que, em média, a cada torneio um dos times grandes cedeu lugar a um pequeno entre os quatro melhores.

Até 2012, por exemplo, seis edições tiveram pelo menos dois forasteiros na fase semifinal. Em 2004, houve uma final entre pequenos, com São Caetano e Paulista de Jundiaí decidindo o título —a equipe do ABC foi campeã.

A disputa de 15 anos atrás repetiu o que aconteceu em 1990, quando o Campeonato Paulista teve a chamada "final caipira" entre o Bragantino de Vanderlei Luxemburgo e o Novorizontino de Nelsinho Baptista  —o clube de Bragança ficou com o título.

O recorte desses últimos 20 anos também mostra que as equipes menores não só encontraram espaço entre os grandes como também alcançaram a final da competição em mais de uma ocasião.

Além de 2005, o Botafogo-SP chegou à decisão em 2001, quando perdeu para o Corinthians; o São Caetano voltou a decidir o Paulista em 2007, ficando com o vice diante do Santos; a Ponte Preta, por duas vezes, ficou com o vice-campeonato, em 2008 e 2017, contra Palmeiras e Corinthians, respectivamente.

O Santo André foi vice-campeão estadual em 2010, contra o Santos, que também conquistou o título paulista sobre o Guarani, em 2012. Dois anos depois, o clube da Vila Belmiro seria vítima da maior zebra recente do Campeonato Paulista, perdendo para o Ituano na decisão.

Em 2016, o Santos decidiu o Estadual mais uma vez e ficou com o título sobre o Audax.

Agora, em 2020, quem pinta como possível quinta força do estado de São Paulo é o Red Bull Bragantino. A parceria com a empresa de bebidas energéticas já funciona desde o ano passado, quando a equipe conquistou a Série B do Campeonato Brasileiro, mas a partir deste ano os austríacos administram também o departamento de futebol.

"Nós queremos transformar o Red Bull Bragantino na quinta força do futebol paulista. E também em torcida, o mais rápido possível", admite Thiago Scuro, executivo do clube.

Para a atual temporada, o investimento da agremiação de Bragança Paulista já ultrapassou os R$ 50 milhões. Entre os principais reforços estão os atacantes Artur, ex-Palmeiras, e Alerrandro, ex-Atlético-MG.

O que pode ajudar os pequenos a roubar uma vaga nas fases classificatórias do Estadual deste ano é o fato de que os quatro grandes estão juntos, pela primeira vez na história, na Copa Libertadores, prioridade dos clubes para a temporada.

Atual tricampeão estadual, o Corinthians já joga no próximo dia 5, contra o vencedor do duelo entre San José (BOL) e Guaraní (PAR), pela segunda fase do torneio continental. Caso se classifique, passará ainda pela terceira fase, prévia à fase de grupos, para a qual Palmeiras, Santos e São Paulo já estão classificados.

"Sabemos que esse período inicial é de fundamental importância. Que a gente possa acelerar o processo de encontrar uma equipe para iniciar essa competição. Temos que ser competitivos para entregar o resultado que vá nos levar à fase de grupos", afirmou Tiago Nunes, em sua entrevista de apresentação como técnico corintiano.

Por outro lado, apesar da menor importância dada ao Paulista em relação à Libertadores, a possibilidade do tetracampeonato seguido corintiano, feito só realizado pelo Paulistano há 101 anos, e o jejum de títulos no estadual podem fazer com que os rivais do Corinthians se vejam pressionados por seus torcedores a dar mais atenção à competição.

O Palmeiras foi campeão pela última vez em 2008, com Vanderlei Luxemburgo –agora de volta ao clube– no comando. Após conquistar o Campeonato Brasileiro em 2018, o time alviverde terminou a temporada 2019 sem títulos e ainda passou por duas trocas de treinador (Luiz Felipe Scolari e Mano Menezes foram demitidos).

Já o São Paulo vive jejum ainda maior. Os tricolores não erguem a taça do Paulista desde 2005. Além da seca na competição, o clube do Morumbi já está há oito anos sem ganhar nada. Sua última conquista foi a Copa Sul-Americana, em 2012. 

O Santos não conquista o título paulista desde 2016, quando se consagrou bicampeão estadual. O clube da Vila Belmiro não vence outra competição que não o Estadual desde 2012, quando conquistou a Recopa Sul-Americana.

Grupos do Campeonato Paulista 2020

Grupo A Grupo B Grupo C Grupo D
Santos Palmeiras São Paulo Corinthians
Ponte Preta Novorizontino Ituano Ferroviária
Oeste Botafogo-SP Mirassol Guarani
Água Santa Santo André Inter de Limeira RB Bragantino

Formato da disputa

Divididas em quatro chaves, as equipes jogam apenas contra adversários de outros grupos. Cada uma delas fará 12 partidas na primeira fase da competição. As duas melhores de cada grupo se classificam para as quartas de final.

Tanto as quartas de final quanto as semifinais serão disputadas em jogo único. O time com melhor pontuação joga em casa. Apenas a final será realizada em duas partidas, sendo a decisiva no domínio do maior pontuador

Segundo a Federação Paulista de Futebol, o VAR (árbitro de vídeo) será utilizado a partir das quartas de final.

Serão rebaixados para a Série A2 do Campeonato Paulista os dois clubes com piores campanhas na fase de grupos.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.