Descrição de chapéu Campeonato Brasileiro 2020

Na briga pela ponta do Brasileiro, Fla vence Corinthians e Inter bate Vasco

Com jogos marcados pelo VAR, gaúchos se mantêm um ponto à frente antes de duelo direto

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A disputa entre Internacional e Flamengo pela liderança do Campeonato Brasileiro continua acirrada.

Neste domingo (14), pela 36ª rodada, última antes do confronto direto entre líder e vice-líder, o time gaúcho venceu o Vasco, por 2 a 0, enquanto a equipe carioca ganhou do Corinthians, por 2 a 1, ambos no Rio de Janeiro.

Os dois jogos foram marcados por polêmicas com o VAR (árbitro assistente de vídeo), sobretudo o disputado em São Januário. Uma pane no programa que traça as linhas para checagem de impedimento impediu a análise do primeiro gol colorado. A decisão de validá-lo coube ao juiz de campo, Flávio Rodrigues.

Gabriel comemora segundo gol do Flamengo sobre o Corinthians
Gabriel comemora segundo gol do Flamengo sobre o Corinthians - Sergio Moraes/Reuters

Polêmicas à parte, a diferença entre os dois primeiros colocados permanece em apenas um ponto: 69 a 68 a favor dos gaúchos. Fla e Inter se enfrentarão no próximo domingo (21), às 16h, no Maracanã. O jogo pela 37ª rodada, a penúltima do Nacional, poderá já confirmar o título para os visitantes em caso de vitória.

As partidas deste domingo importavam para todas as faixas da tabela. ​Estacionado nos 49 pontos, o Corinthians foi ultrapassado por Santos (nono) e Athletico (oitavo), com 50. A posição dos paranaenses poderá dar uma vaga na fase preliminar da próxima Copa Libertadores caso Grêmio e Palmeiras, que ainda disputarão a final da Copa do Brasil, terminem o Nacional entre os sete primeiros colocados.

Na disputa contra o rebaixamento, o Vasco se complicou ainda mais. A duas rodadas do fim, permanece na 17ª posição, com 37 pontos. Bahia, em 16º com 38, e Goiás, em 18º com 36, são os principais rivais dos cruzmaltinos na disputa para tentar evitar a queda.

Disputados simultaneamente, os dois jogos no Rio também tiveram eventos importantes em paralelo. Flamengo e Inter abriram o placar exatamente aos 9 minutos do primeiro tempo.

Os cariocas com Willian Arão, e os gaúchos, com Rodrigo Dourado, ambos de cabeça. Em São Januário, porém, o VAR levou quase quatro minutos para tentar checar um possível impedimento antes de constatar que não conseguiria traçar as linhas para análise. Para revolta dos vascaínos, que disseram que pedirão a anulação do jogo na justiça desportiva.

Em nota, a CBF disse que solicitou à empresa Hawk-Eye, responsável pela operação dos equipamentos, esclarecimentos sobre a falha na ferramenta. Contudo, afirmou que a equipe da cabine checou o lance mesmo assim, constatando "nenhum erro claro da arbitragem de campo" e que foi "corretamente mantida a decisão de campo de validar o gol".

Tanto a equipe dirigida por Rogério Ceni como o elenco de Abel Braga tiveram amplo domínio da posse de bola nos 45 minutos iniciais e criaram mais chances de gol, enquanto seus adversários apostavam quase exclusivamente nos contra-ataques.

Foi justamente num lance de velocidade que os paulistas chegaram ao empate no Maracanã. Aos 19 minutos, na primeira subida ofensiva da equipe, Araos serviu Léo Natel e o atacante bateu na saída do goleiro Hugo Souza.

Embora continuasse com mais posse e mais presente no campo de ataque, depois que sofreu o gol, o time rubro-negro não conseguiu mais exercer a pressão que havia feito nos 20 minutos iniciais.

O Vasco, por sua vez, ofereceu menos resistência ao Inter. Tanto que só finalizou ao gol duas vezes antes do intervalo, sem muito perigo à meta defendida por Marcelo Lomba.

Rodrigo Dourado é abraçado pelos jogadores do Internacional após marcar contra o Vasco
Rodrigo Dourado é abraçado pelos jogadores do Internacional após marcar contra o Vasco - Alexandre Loureiro/Reuters

Depois do intervalo, Rogério Ceni pediu que o seu time passasse a explorar mais o lado esquerdo, com Bruno Henrique. Foi por ali que a equipe chegou ao segundo gol, novamente aos 9 minutos.

Após finalização do camisa 27, Cássio deu rebote e Everton Ribeiro serviu Gabriel, que livre de marcação marcou. Outra vez uma análise feita pelo VAR para checar um possível impedimento durou mais de três minutos. As linhas demoraram a aparecer na transmissão, causando dúvidas em quem tentava entender a validação do lance, mas posteriormente mostraram que o artilheiro do time estava atrás da linha da bola.

Na sequência, o Flamengo conseguiu impedir qualquer reação dos corintianos e esteve muito mais perto do terceiro gol do que de sofrer o empate.

O time carioca chegou ao sétimo jogo seguido sem saber o que é perder dos corintianos, com seis vitórias e um empate no período, incluindo uma goleada por 5 a 1 no primeiro turno desta edição do Nacional.

Já em São Januário, o Inter viveu um momento de tensão aos 31 minutos da segunda etapa, quando Cuesta e Cano dividiram a bola na área. Depois de cinco minutos de checagem do VAR, o pênalti foi confirmado, mas o atacante argentino cobrou para fora.

Desesperado na busca pelo empate, o Vasco deixou ainda mais espaços na defesa, e foi o Internacional que acabou chegando ao segundo gol, já aos 50 minutos, com Thiago Galhardo. Ele divide a artilharia com Marinho, do Santos, e Claudinho, do Red Bull Bragantino.

Mesmo com a pressão vascaína até o fim, o Inter segurou a vitória, assim como fez o Flamengo diante do Corinthians.

Vagner Mancini terá o importante desfalque do lateral Fagner para o próximo jogo. Ao levar o terceiro cartão amarelo neste domingo, ele não poderá jogar na quarta-feira (17), na Vila Belmiro, em confronto atrasado da 33ª rodada contra o Santos. O clássico poderá ser determinante na disputa pela Libertadores.

O próximo compromisso do desesperado Vasco será contra o Corinthians, no domingo (21), na Neo Química Arena.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.