Parceria da Folha com RT Features vai levar reportagens ao cinema e à TV

Produtora de Rodrigo Teixeira terá preferência caso queira adaptar matérias e projetos do jornal

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A Folha e a produtora RT Features, do carioca Rodrigo Teixeira, firmaram um contrato para levar reportagens publicadas pelo jornal às telas.

Chamado no meio cinematográfico de “first look deal”, esse tipo de parceria é comum em Hollywood. Nela, um estúdio pode ter acesso a projetos em desenvolvimento e decidir, desde sua concepção, se tem interesse em adaptá-lo em forma de filme ou série de TV.

No caso da RT Features, ela terá preferência se decidir comprar os direitos para filmar reportagens publicadas ou a serem publicadas pela Folha.

“A nossa ideia é encontrar, nas páginas do jornal, material para explorar, seja como seriado ou como filme, por meio de uma colaboração”, diz Teixeira.

O contrato, prorrogável, tem duração inicial de três anos. Ao longo deste período, o jornal apresentará relatórios com reportagens e outros projetos em desenvolvimento e com potencial para serem transformados em obras audiovisuais. A RT poderá, então, comprar os direitos de adaptação ou ofertar o material a produtoras estrangeiras.

“Diz o chavão que a nossa vida daria um livro. Muito do que é publicado nas plataformas da Folha todos os dias renderia um livro, um filme, uma série... E, agora, com esta parceria, pode render mesmo”, afirma Sérgio Dávila, diretor de Redação da Folha.

Fundada em 2005, a RT Features está por trás de longas nacionais, como “O Cheiro do Ralo” e “A Vida Invisível”, e de sucessos hollywoodianos, como “Me Chame pelo Seu Nome”, “Ad Astra” e “A Bruxa”.

É a primeira vez que a produtora assina um contrato do tipo com uma empresa de jornalismo.

Para Teixeira, a parceria toca num lado pessoal, já que há 30 anos ele é assinante da Folha. Foi depois de ler uma coluna de Juca Kfouri que ele decidiu abordar o futebol em um de seus primeiros filmes, “O Casamento de Romeu e Julieta”, de 2005.

Não são, portanto, só narrativas como as de “Spotlight: Segredos Revelados”, sobre os bastidores da notícia, que ele quer produzir. Os personagens e as histórias descobertos pelo jornal também despertam curiosidade.

“As duas coisas nos interessam. Sempre vamos destacar as histórias, mas há momentos em que a investigação se torna parte delas. Adoraria poder fazer isso, principalmente num momento em que a gente está precisando trazer clareza sobre a importância do trabalho do jornalista no país”, diz Barbara Teixeira, que chefia a área de televisão da RT Features.

Para ela, o audiovisual está amadurecendo com o streaming e agora precisa de novas histórias. Isso se aplica principalmente à produção latino-americana, que vem gerando grande interesse internacional.

Recentemente, a RT comprou os direitos de adaptação de “A Máquina do Ódio”, livro em que Patrícia Campos Mello, repórter da Folha, aborda o uso das redes sociais pelos líderes populistas de direita no Brasil e em outros países.​

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.