Azul anuncia voos na ponte aérea Rio-São Paulo

Empresa começa operação com 34 horários por dia a partir de 29 de agosto

Mariana Grazini
São Paulo

A Azul anunciou nesta segunda-feira (12) que terá voos na ponte aérea Rio-São Paulo a partir de 29 de agosto. A rota mais movimentada e lucrativa do mercado aéreo brasileiro liga os aeroportos de Santos Dumont e Congonhas.

As passagens já estão sendo vendidas pela empresa. Serão 17 voos por dia do Rio de Janeiro para São Paulo e outros 17 no caminho inverso. Dois desses horários são temporários e foram repassados para a Azul até outubro. 

“Estamos animados para mostrar o nosso serviço para o setor de São Paulo. Estamos lutando há muito tempo para termos mais destaque no Aeroporto de Congonhas e queremos começar já”, disse John Rodgerson, presidente da Azul.

Avião da Azul taxiando no aeroporto Leite Lopes em Ribeirão Preto - Edson Silva/Folhapress

A empresa usará de cinco a seis aeronaves Embraer E-195. O modelo foi autorizado pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) a pousar na pista auxiliar do Aeroporto Santos Dumont enquanto a pista principal passa por reformas até 21 de setembro.

Conforme antecipou o Painel S.A.,durante as obras, apenas a Azul terá aeronaves na ponte aérea, o que deixará de fora as concorrentes Latam e Gol.

Rodgerson disse que a previsão é que a Azul opere na ponte aérea com o Airbus A320neo a partir de outubro. A aeronave é maior do que utilizada na estreia da rota, com capacidade de 180 passageiros ante 118 do Embraer E-195. 

A Azul foi a maior herdeira dos antigos slots da Avianca em Congonhas, redistribuídos pela Anac no último dia 31, tendo recebido 15 horários ---a Passaredo ficou com 14, e a MAP, 12. Essas duas companhias, porém, não pretendem operar na ponte aérea.

Segundo Rodgerson, a Azul teria capacidade para operar voos também para Brasília se tivesse recebido todos os espaços deixados pela Avianca em Congonhas. Voos do Aeroporto de Congonhas até a capital, disse o presidente, ainda estão nos planos da empresa. 

De acordo com ele, os preços iniciais serão R$ 99 por trecho. Rodgerson afirmou que a entrada da Azul na ponte Rio-São Paulo aumentará a competição entre empresas no setor de aviação. “A concorrência só ajuda o consumidor”, afirmou. 

Os voos operados pela Azul no Aeroporto de Congonhas, para Belo Horizonte, Curitiba e Porto Alegre, não sofrerão alterações com o início da operação na ponte aérea, segundo a empresa. A Azul reforça sua operação em Congonhas enquanto mantém o aeroporto de Viracopos, em Campinas, como seu principal hub (centro de conexões).

Em 2018, foram operados 39.747 voos entre Santos Dumont e Congonhas, fazendo da ponte Rio-SP a quarta rota doméstica mais movimentada do mundo.

Colaborou Guilherme Magalhães

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.