Descrição de chapéu Financial Times

Kraft Heinz tem queda nas vendas com menor consumo de ketchup

Quedas nas compras de molhos e macarrão pré-pronto, além de dólar forte, derrubaram os resultados da empresa

Nova York | Financial Times

A Kraft Heinz registrou mais um trimestre de declínio nas vendas, em um sinal de que continua a existir pressão sobre a fabricante de alimentos, que está sofrendo com a mudança nas preferências dos consumidores.

A empresa, sediada nos Estados Unidos e responsável por produtos tradicionais como o ketchup Heinz, o molho HP Sauce e o macaroni and cheese (macarrão com queijo) Kraft, revelou uma queda de 4,8% em suas vendas líquidas no terceiro trimestre, ante o período em 2018, para US$ 6,1 bilhões (R$ 24,4 bilhões).

Vendas de linhas de produtos e a força do dólar responderam por boa parte desse declínio, mas também houve uma queda de 1,1% em base orgânica.

Mac&Cheese e Ketchup da Karft Heinz
Mac&Cheese e Ketchup da Karft Heinz - Scott Olson - 17.fev.2017/AFP

A Kraft Heinz, controlada por Warren Buffett e pelo grupo de investimento brasileiro 3G Capital, se tornou emblemática dos problemas das empresas de bens de consumo. Produtos que costumavam ser presença obrigatória nos domicílios americanos durante gerações agora saíram de moda.

Miguel Patricio, que se tornou presidente-executivo da companhia este ano, disse que os mais recentes resultados “continuam abaixo de nosso potencial”, mas acrescentou que a companhia estava “fazendo bom progresso em identificar e resolver as causas básicas do desempenho passado, bem como em estabelecer nosso direcionamento estratégico".

“Ainda que reste muito trabalho por fazer, a melhora de nosso desempenho nos encoraja”, ele afirmou.

Os analistas de Wall Street antecipavam os declínios, e as ações da Kraft Heinz, que passaram por uma forte onda de vendas este ano, subiram em 4,7% antes da abertura dos mercados. Os mais recentes resultados da companhia sediada em Chicago se seguem à constituição de uma reserva contábil de US$ 1,2 bilhão, em agosto, e a uma depreciação de US$ 15 bilhão (R$ 60,15 bilhões) no valor de seus ativos alguns meses atrás.

No terceiro trimestre, o ganho extraordinário auferido com a venda das operações de queijo natural da companhia no Canadá ajudou a receita líquida a subir de US$ 619 milhões (R$ 2,48 bilhões) para US$ 899 milhões (R$ 3,60 bilhões).

Excluídos os itens excepcionais, a receita antes dos juros, impostos, depreciação e amortização caiu em 7.,8%, para US$ 1,5 bilhão (R$ 6 bilhões), porque o aumento dos custos dos insumos prejudicou os resultados.

O anúncio de resultados surgiu depois que emergiu a informação, no mês passado, de que a 3G Capital, que criou a companhia ao fundir a Kraft e a Heinz em 2015, havia reduzido sua participação no grupo. A 3G vendeu US$ 713 milhões em ações, reduzindo sua participação de cerca de 22% para 20%. Ao mesmo tempo, sócios individuais da 3G, entre os quais Jorge Paulo Lemann, adquiriram cerca de US$ 200 milhões em ações.
 
Financial Times, tradução de Paulo Migliacci

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.