Descrição de chapéu Coronavírus

Doria sugere ao comércio adiar para agosto o Dia das Mães

Proposta é bem recebida pelo setor; data é a segunda mais importante para o varejo, atrás apenas do Natal

São Paulo

A possibilidade de adiar o Dia das Mães para agosto tem sido bem recebida entre os comerciantes paulistas. A medida foi sugerida pelo governador João Doria (PSDB-SP) durante reunião virtual nesta quinta (23) foi com o Comitê Empresarial Econômico, que reúne 328 empresários.

A iniciativa foi elogiada pelo presidente da Facesp (Federação das Associações Comerciais do Estado São Paulo) e da ACSP (Associação Comercial de São Paulo), Alfredo Cotait Neto.

“Acho boa a ideia. Nós apoiamos a mudança de postergar o movimento do comércio para uma data um pouco mais livre, mas tem que ser uma decisão nacional”, diz .

Na quarta-feira (22), as entidades encabeçaram um pedido de flexibilização da quarentena para o Dia das Mães, que será no dia 10 de maio.

A data é a segunda de maior faturamento do setor no ano, atrás apenas do Natal.

Durante a reunião, Doria comentou que o adiamento seria apropriado para impulsionar o comércio que ainda está fechado por causa das medidas de restrições adotados para enfrentar o coronavírus.

“O Dia das Mães tem dois significados importantes: o primeiro é o encontro familiar, que na atual conjuntura não está fácil, e o segundo é por causa da movimentação do comércio”, diz Cotait.

A proposta por Doria também foi bem recebida pela FecomércioSP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo).

“Acho interessante tornar oficial isso, porque uniformiza procedimento e promoção e isso alavanca. Não que a gente precise de um ato do governo, já que o reconhecimento dessas datas veio depois de iniciativas do comércio”, diz Ivo Dall’Acqua Júnior, vice-presidente da FecomercioSP.

O governador, aliás, lembrou durante a reunião com os empresários na manhã desta quinta que o Dia das Mães foi criado por seu pai, o publicitário baiano João Agripino da Costa Doria, que popularizou a comemoração no Brasil em 1949, ao lançar uma campanha que institucionalizou a data.

Mas há vozes contrárias ao adiamento. O empresário José Isaac Peres, da Multiplan, empresa de shoppings, diz que mudar a data vai apenas piorar a situação do comércio.

“Qual a diferença em flexibilizar a quarentena cinco dias antes ou um dia depois do Dia das Mães? Adiar vai ser muito ruim para o varejo. O comerciante já está muito mal, já são muitos desempregados. Temo que o desemprego seja uma causa futura de doenças até piores que a Covid-19.”

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.