Agência Fitch coloca nota de crédito do Brasil em perspectiva para rebaixamento

Empresa de classificação de risco diz que problemas políticos e econômicos do país justificam mudança

São Paulo

A agência de classificação de risco Fitch manteve a nota de crédito do Brasil, mas alterou sua perspectiva de estável para negativa nesta terça-feira (5), segundo informações da agência Bloomberg.

A alteração indica a possibilidade de um rebaixamento e se deve aos problemas econômicos gerados pela pandemia de coronavírus e ao agravamento da crise política.

Atualmente a nota do Brasil é BB-, grau de risco semelhante ao de países como Uzbequistão e Guatemala.

A nota brasileira estava com perspectiva estável desde 2018, quando o país foi rebaixado pela última vez e ficou três degraus abaixo do grau de investimento, uma espécie de selo de qualidade para os títulos da dívida, que o Brasil perdeu em 2015.

A Fitch afirmou que o corte na perspectiva reflete a deterioração das expectativas econômicas e fiscais do Brasil, os riscos negativos trazidos pela incerteza política, além da incerteza sobre a duração e a intensidade da pandemia de coronavírus e seu impacto no país.

No início de abril, a agência de classificação de risco S&P reduziu a perspectiva do Brasil de positiva para estável devido aos impactos do coronavírus e a uma piora na saúde fiscal do país, com o aumento de gastos por parte do governo para conter a pandemia e seus efeitos econômicos.

Também em abril, a agência de classificação de risco Moody's rebaixou a previsão para o desempenho da economia brasileira neste ano, passando a prever contração de 5,2%.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.