Argentina apresenta proposta protecionista ao Mercosul

País afirma que novos acordos devem esperar para proteger economia durante pandemia

Buenos Aires

A Argentina apresentou nesta quinta-feira (7) sua proposta para um novo formato do Mercosul nesses tempos de pandemia. A reunião ocorreu por videoconferência e estiveram presentes os representantes técnicos de cada país.

"A ideia é que o bloco avance em conjunto nas negociações regionais, tendo em conta a defesa de seu tecido produtivo e o cuidado com o emprego nacional", disse o documento emitido ao final pela chancelaria argentina.

O secretário argentino para o Mercosul, Jorge Neme, disse que o Mercosul deve estar conectado com o mundo, "mas também protegendo setores mais sensíveis, o trabalho e a criação de valor agregado na região".

Ele reforçou as sinalizações feitas pelo governo de Alberto Fernández de que a Argentina tinha a intenção de adotar posição mais protecionista.

"Não podemos abrir-nos de forma frívola, e assim expor a estrutura de produção à competição externa", disse Neme, justificando que isso seria necessário devido ao "panorama de incertezas a nível internacional".

Os representantes argentinos também afirmam que continuarão trabalhando nos acordos com a União Europeia, mas que os acordos com Coreia do Sul, Singapura, Canadá e Líbano deveriam esperar.

"O objetivo é proteger os setores vulneráveis da nossa economia".

Uma nova teleconferência deve acontecer no próximo dia 12 de maio.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.