Oficinas automotivas buscam parceria com concessionárias para se reinventar

Mercado de serviços para carros cresce com a implementação de novos modelos de negócio

Eduardo Sodré
São Paulo

As franquias de serviços automotivos seguem em alta em 2019, com crescimento de 12,7% no faturamento entre os primeiros trimestres de 2018 e de 2019, segundo a ABF (Associação Brasileira de Franchising).

O momento atual é resultado da reinvenção de negócios que sobreviveram à crise e se adaptaram às particularidades do Brasil.

Especializada em estética automotiva, a Top Spa Car oferece sua estrutura por valores que partem de R$ 75 mil. Os pontos de venda preferenciais são concessionárias. A própria franqueadora cuida da negociação com as revendedoras de veículos.

Homem de camisa azul e terno, sorrindo
Henrique Mol, diretor do grupo Encontre sua Franquia - Divulgação

O faturamento anual da empresa, que está presente em 87 lojas pelo país, é estimado em R$ 10 milhões. Mas é necessário estar preparado para tempos difíceis, segundo Anderson Macena, diretor-executivo da Top Spa Car. 

"O mercado brasileiro sofre com altos e baixos e quem não consegue se adaptar é engolido pelo cenário nacional."

A rede de reparos ChipsAway também atua em parceria com concessionárias de automóveis. João Furlan da Silva Telles, diretor-geral da empresa, explica que é importante estabelecer um limite mínimo para negociar valores. 

"É comum que os revendedores queiram terceirizar seus serviços de reparo pagando pouco pelas peças, mas eu trabalho com uma tabela e dou descontos", diz.

A estratégia de Telles é oferecer serviços a um custo intermediário entre o encontrado nas oficinas tradicionais de bairro e o cobrado por reparos nas redes autorizadas, onde os valores são maiores. Por isso é possível atender tanto consumidores como distribuidoras de automóveis.

Há dez anos no mercado, a rede Acquazero foi outra que passou por um processo de adequação. O serviço de lavagem a seco de veículos, embora promissor em tempos de crise hídrica, mostrou-se insuficiente para fechar as contas. A solução foi ampliar o foco.

Os franqueados estavam insatisfeitos, diz Henrique Mol, diretor-executivo do grupo Encontre sua Franquia, que adquiriu a Acquazero em fevereiro de 2018. Na época, havia 270 pontos de atendimento —muitos operavam com prejuízo. Cerca de 70 unidades foram descredenciadas e outras 40 surgiram desde então.

O grupo investiu R$ 2,5 milhões no negócio e buscou alternativas para atender melhor no Brasil profundo.

Em lojas instaladas nas cidades com muitas estradas de terra, o tempo gasto para deixar um carro brilhando sem usar água não permitia o giro necessário para obter lucro. A solução foi implantar a lavagem ecológica com uso de vapor, mais rápida.

O processo de restruturação da Acquazero segue em andamento e tem como estratégia transformar antigos concorrentes em parceiros. Franquias têm sido abertas em postos de gasolina, que terceirizam serviços de limpeza.

Mais importante que o local de instalação é a identidade visual. Telles, da rede ChipsAway, explica que esse cuidado é fundamental para transmitir credibilidade e conquistar consumidores que antes confiavam em um profissional específico, sem se ligar à marca.

O executivo diz que ele mesmo buscava fazer serviços em seus carros com o mesmo funileiro. "Ele trocava de oficina, eu ia atrás." Hoje, ele procura oferecer o mesmo padrão de serviço nas duas unidades próprias da empresa e em seus dez pontos franqueados, todas com o mesmo estilo arquitetônico.

A aparência importa muito: o mercado de reparos na carroceria é movido, principalmente, pela vaidade.

Segundo Telles, 95% dos atendimentos abrangem danos que apenas enfeiam o carro. São arranhões e amassados cujos consertos custam entre R$ 1.200 e R$ 1.500. A soma desses retoques deve levar a um faturamento de R$ 2 milhões em 2019.

O setor está sendo movimentado também pelos carros de aplicativo, diz Claudia Bittencourt, sócia-fundadora do grupo Bittencourt, especializado em consultoria para empresas. Muitas pessoas passaram a usar o carro como instrumento de trabalho e precisaram fazer melhorias na lataria e na parte mecânica.

A especialista afirma que, antes de investir numa franquia de serviços automotivos, o interessado deve fazer contato com lojistas que já fazem parte da rede. O objetivo é saber qual é o suporte dado e se há investimentos em marketing e pesquisa de mercado.

"É importante saber usar as redes sociais e a propaganda para ser menos impactado pelas crises, além de entender o perfil de seu público. Ou as empresas conhecem os clientes ou os perdem para concorrentes que buscam conhecê-los", afirma Claudia.

Ter canais de apresentação e venda online, além de oferecer a possibilidade de atendimento em domicílio quando possível, são características indispensáveis. "As pessoas querem comodidade. Hoje, dificilmente alguém vai a uma loja para trocar a bateria do carro, essas peças são entregues em casa pela seguradora", diz a especialista.

Os modelos de negócio disponíveis têm custos de aquisição que começam em R$ 10 mil, segundo dados do setor.

Entre as opções mais em conta está a modalidade standard da Acquazero, com investimento a partir de R$ 13 mil. Nela, o franqueado vai com o equipamento de limpeza até o endereço do cliente.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.