Descrição de chapéu
Depoimento

Continuo em casa mesmo após fim do lockdown, diz moradora de Wuhan

Professora afirma que muitos chineses preferem não sair por não acharem seguro

Zeng Xiangxi
Wuhan

O lockdown começou logo antes da celebração do Ano Novo Chinês, quando deveríamos nos reunir com a família e os amigos. Minha filha chorou quando soube que a cidade ia fechar. Eu também me senti muito mal, mas já tinha preparado comida para o feriado e ao menos não me preocupei com a nossa alimentação. Além disso, podíamos sair para comprar algumas coisas usando máscara.

Mas, depois de um tempo, não era mais permitido sair nem de máscara. Felizmente, voluntários no meu prédio ajudavam a comprar o que eu precisava e deixavam as compras na porta da minha casa.

Pessoas com máscara atravessam ponte em Wuhan; restrições na cidade estão acabando
Pessoas com máscara atravessam ponte em Wuhan; restrições na cidade estão acabando - Noel Celis/AFP

Mesmo assim, eu fiquei muito mal de não poder sair de casa. A pior parte, além de não poder ir lá fora, era receber muitas más notícias pela internet. Cheguei a um estado de espírito de tristeza, desesperança e desespero.

Mas sou mãe e não podia me entregar. Geralmente sou uma pessoa positiva e decidi não deixar meu humor influenciar minha filha, então comecei a fazer as coisas como antes: cozinhar para mim e para ela, praticar ioga quatro ou cinco vezes por semana e ler livros todos os dias.

Depois do feriado, passei muito tempo trabalhando, inclusive preparando minhas aulas, que são online agora. Eu já estava acostumada a fazer pesquisa e orientar meus alunos pela internet, mas tive que aprender algumas habilidades para usar um sistema virtual para lecionar.

Agora as restrições em Wuhan estão terminando, mas eu prefiro ficar em casa porque não tenho certeza de que lá fora seja seguro e porque o governo tem pedido para que a gente evite sair. Eu planejava ir para uma conferência em Paris em junho, mas acho que não vou porque a França não está segura o suficiente em relação à Covid-19.

Assim como eu, muitos moradores de Wuhan, incluindo meus amigos, preferem ficar em casa porque acham que é melhor para a nossa segurança.

Não sei quando as escolas vão reabrir e acredito que a população deveria seguir as orientações do governo de evitar sair por enquanto.

Acho que, depois de tudo isso, as pessoas vão ter mais respeito por médicos, enfermeiros e voluntários por seus sacrifícios durante esse período. E também vão valorizar mais a saúde e a vida.

Zeng Xiangxi é professora associada e pesquisadora de língua chinesa na universidade de Hubei, em Wuhan Depoimento a Flávia Mantovani

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.