CPI tem o dever de solicitar a prisão imediata desse mentiroso, diz leitor

Ex-funcionário de empresa de disparo em massa mentiu e insultou repórter da Folha

Mentiras na CPI
A CPI tem o dever de solicitar a prisão imediata desse mentiroso (“Ex-funcionário de empresa de disparo em massa mente a CPI e insulta repórter da Folha”). Ele está fazendo joguinho com o Eduardo Bolsonaro.
Antônio Carlos de Paula (Mogi Mirim, SP)

Celulares usados em empresa para enviar mensagens de WhatsApp em massa
Celulares usados em empresa para enviar mensagens de WhatsApp em massa - Reprodução


É preciso que seja levado adiante o processo contra esse senhor mentiroso. Não se pode aceitar que as pessoas mintam descaradamente. Está feio, mas vai acabar muito pior se o barco for por esse rumo. Folha, não deixe passar!
Rafael Zaccaron (Florianópolis, SC)

Por que ele não foi preso? Não se faz mais deputado como antigamente. Ele está se achando e deve achar que está protegido.
Hercilio Silva (Brasília, DF)


Morte de miliciano
Tanto a PM baiana como a carioca possuem recursos tecnológicos para filmar toda a operação automaticamente por todos os agentes envolvidos. Por que não o fizeram? Não seria um caso de repercussão nacional? A negligência pode ter ocorrido por incompetência, mas dá causa às suspeitas imensas de todos (“Cenário de fuga e morte de miliciano ligado a Flávio traz dúvidas sobre apoios e ação policial”). Foi queima de arquivo?
Sérgio Pombo (Belém, PA)
 

Homenageia e depois não fala nada quando morre (“Com receio sobre Flávio, Bolsonaro não comenta morte de ex-PM e critica imprensa”)?
Simone Luiz (São Paulo, SP)

Há uma questão que Hélio Schwartsman não levou em conta: os grupos criminosos paramilitares, com todo o salvo-conduto que a ligação com o poder público lhes dá, ameaçam os moradores dos locais sob sua influência, levando essas pessoas a votar em quem eles querem (“Queima de arquivo?”). Ou se vota no escolhido ou “todo o mundo vai pagar” se ele não for vitorioso na área.
Luciana Guerra Malta (Rio de Janeiro, RJ)

Está cheirando a queima de arquivo mesmo (“Entenda a morte de miliciano ligado a Flávio Bolsonaro e veja perguntas sem resposta”). Considero Bolsonaro e família menos ruins do que o PT e asseclas, mas no Rio ninguém é inocente na política/polícia e a sacanagem é institucional. É assim que as coisas funcionam. O resto é conversa fiada.
Mariana Labate (São Paulo, SP)

O que mais incomoda são as pessoas que simplesmente não conseguem ver a corrupção entranhada, a ligação com bandidos e milicianos e o imenso estrago que está sendo feito no Brasil. Pior do que está ocorrendo são as pessoas que não conseguem ver.
Beatriz R. Alvares (Campinas, SP)


Paulo Guedes
O ministro se esqueceu de que tem o salário sustentado pela quantidade de impostos pagos pelos parasitas brasileiros, independentemente de ser ou não do serviço público (“Não quis ofender e peço desculpas, diz Guedes após chamar servidor de parasita”).
Lícia Silva (São Paulo, SP)

Errou e se desculpou. Ponto final. É o único do governo que merece um crédito, mas sempre desconfiando.
Juliano Danilo (Chapecó, SC)


Chuvas
É muita coragem dizer que o sistema de drenagem funcionou (“Secretários de São Paulo dizem que drenagem funcionou após fortes chuvas”). O solo não foi saturado porque não há solo para ser saturado. Não há áreas permeáveis em São Paulo. A chuva não tem como infiltrar o solo e ocorre só o escoamento superficial, que deveria chegar até os córregos e depois aos rios, mas todos os córregos e rios foram canalizados.
João Paulo Gasperi Pantarotto (Presidente Prudente, SP)

Como morador há mais de 70 anos na capital paulista, ainda nutro esperança de que um dia tenhamos um governador paulista tão eficiente, honesto e anticorrupto como o nosso atual presidente. Teremos a execução de uma obra adequada na Grande São Paulo, idêntica à de Tóquio, para acabar com as terríveis enchentes destruidoras de lares paulistanos. Isso seria um sonho ou há tal possibilidade? 
Benone Augusto de Paiva (São Paulo, SP)


Oscar
Como brasileira, sinto-me totalmente representada pelo documentário de Petra Costa, admirável mulher, ora atacada vilmente tanto por bolsonaristas de carteirinha quanto pelos enrustidos. Com a mesma intensidade, não sinto nenhuma empatia com a canastronice fascistoide de integrantes de um governo cujo chefe apoia a tortura e exalta torturadores. 
Mariana Capparelli de Almeida Passos 
(Nova Friburgo, RJ)

Considero o documentário tendencioso e partidário, mas o fato de ter sido indicado ao Oscar é, em si, uma vitória da diretora. Sem dúvida, a obra possui qualidades técnicas inquestionáveis. O triste foi ver a foto de protesto da equipe do documentário. Triste. Como brasileiro, fiquei envergonhado.
Marco A. Moreira (São Paulo, SP)

Eu gostei de “Democracia em Vertigem”: o documentário me comoveu, me fez chorar e me lembrou  quanto andamos para trás. Vários bons filmes indicados não ganharam. Lembram-se de “Central do Brasil”? Ao ser indicado, o filme não perde, só ganha. A arte precisa registrar a história. Parabéns, Petra.
Cristina Neumann (Porto Alegre, RS)


Design inteligente
Causou-me espanto o artigo de Marcos Eberlin sobre design inteligente. Ele não responde objetivamente à pergunta inicial e contém afirmações que não correspondem à realidade. A mais esdrúxula é dizer que há design inteligente detectável no DNA. Não há um único artigo que suporte essa afirmação. Na extensa lista de publicações do próprio Eberling, não há uma única sobre design inteligente. Nenhum cientista de verdade afirma que é ciência. Design inteligente não passa de criacionismo religioso disfarçado.
Leandro R. Tessler, professor do Instituto de Física “Gleb Wataghin”, Unicamp (Campinas, SP)


Pitimbu
Cumprimentos à Folha pela brilhante reportagem sobre as belezas de Pitimbu (“Piscinas naturais, estuários e falésias formam cenário da intocada Pitimbu”). A reportagem repercutiu na cidade e região onde moro. É de dar orgulho. Pitimbu é um lugar incrível com suas belas praias, cheias de histórias, e sua gente. Um paraíso que vale a pena conhecer. 
Luciano da Silva Amorim (Caaporã, PB)


Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br​​. ​  

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.