Leitor lembra que Alckmin garantiu que não haveria mais enchentes

Para leitora, é o homem, não a chuva, que causa estragos

Chuva
Nas entrevistas sobre as inundações em São Paulo, gostaria de ouvir o ex-governador Geraldo Alckmin, que gastou os tubos numa obra de desassoreamento dos rios Tietê e Pinheiros, anos atrás, e garantiu que o problema das enchentes estava resolvido de vez.
Fábio Alexandre Lunardini (São Paulo, SP)


Seria possível o jornal e os jornalistas culparem, pelos estragos, os humanos que sujam as ruas com seus montes de lixo e que constroem e destroem onde não deveriam? A chuva não tem culpa. É triste ler que "a chuva destrói e causa alagamentos".
Marisa Wada (Barueri, SP)

Novos tempos
A teoria da evolução de Darwin e Wallace é a mais profunda e bela teoria científica jamais concebida pela humanidade. Há abundantes comprovações empíricas de sua realidade. Sua simplicidade e seu poder explanatório são impressionantes. Que a Folha a coloque em pé de igualdade com o terraplanismo do design inteligente (?) é mais uma evidência do obscurantismo em que o Brasil, pouco a pouco, mergulha nesses novos tempos ("O design inteligente, tido como vertente do criacionismo, é uma teoria científica válida?". 8/2).
Cylon Gonçalves da Silva, físico, professor emérito da Unicamp (Campinas, SP)

Retrato de Charles Darwin sentado
Quadro de Charles Darwin - George Richmond

Educação S.A.
Parece-me ser de extrema importância a identificação dos empresários que aprovam a gestão de Abraham Weintraub no Ministério da Educação (Painel S.A., "Língua culta", "Prova" e "Analfabetismo", 10/2). O país tem o direito de saber quem são os apoiadores de tão lamentável figura. O país precisa saber quem apoia o autoritarismo e a incompetência vigentes naquele ministério.
Luiz Fernando Schmidt (Goiânia, GO)

Na edição de 10/2 da Folha, há o texto "Empresários aprovam gestão de Weintraub", mas, ao lê-lo, nota-se que só um empresário ("com trânsito no Planalto") a aprova. A questão é importante demais para ficar só numa notinha. Seria preciso ver quais setores empresariais, com qual peso no PIB, realmente aprovam essa gestão, que em nada tem contribuído para a qualificação da nossa mão de obra ou para a competitividade de nossa economia.
Renato Janine Ribeiro, ex-ministro da Educação (São Paulo, SP)


Huck
No artigo "Mais formaturas, menos funerais" (Tendências / Debates, 7/2), Luciano Huck, que se julga um empreendedor social, fala em "avanço da desigualdade" e "concessão pouco criteriosa de subsídios". Mas foi ele próprio que comprou um avião financiado pelo BNDES, com juros subsidiados, cuja diferença, se ele não sabe, será coberta por todos os outros brasileiros, vítimas da "loteria do CEP" e da herança do colonialismo e da escravidão.
José Ronaldo Curi (São Paulo, SP)


Barulho e terraplanismo
Numa época em que há quem defenda a planicidade da Terra e o criacionismo, não surpreende que apareça alguém postulando o "prazer de ouvir barulho" em restaurantes ("Restaurantes são barulhentos porque nós somos ruidosos, diz crítico gastronômico", Ilustrada, 9/2).
José João de Espíndola (Florianópolis, SC)


Oscar
O documentário brasileiro perdeu o Oscar porque Petra Costa não foi honesta. Não falou da empresa da família dela, que fez doações ao PT. Não falou da compra da refinaria de Pasadena por Dilma. Não falou quem chamou o Temer duas vezes para ser vice e por que depois ele virou golpista. E nada falou do desemprego monstro deixado por Dilma, que, além de empacotar vento, arrombou o Brasil e a Petrobras .
Antonio J. Marques (Rio de Janeiro, RJ)

Parabéns a Petra Costa! O maior prêmio foi seu filme ter revelado ao mundo a corrosão da democracia no Brasil com o governo neofascista que assumiu o poder.
Moacyr da Silva (São Paulo, SP)

Petra Costa, diretora de "Democracia em Vertigem", no tapete vermelho do Oscar 2020 - Reprodução/Instagram

A secretária da Cultura, Regina Duarte, postou a imagem de manifestação na avenida Paulista com pessoas vestidas de verde e amarelo --marca dos protestos contra o PT em 2016-- com a legenda "Um Oscar para você que foi às ruas derrubar o governo mais corrupto da história". Lavei a minha alma, pois jamais fui representado pelo filme "Democracia em Vertigem".
Marcelo Gomes Jorge Feres (Rio de Janeiro, RJ)


Elite militar
No dia 7/2, fomos surpreendidos com a reportagem "Elite militar brasileira vê França como ameaça nos próximos 20 anos" (Mundo). Em vez de inventar fantasmas e criar animosidades com a França, um país amigo, essa bem remunerada elite deveria deixar que os recursos do contribuinte sejam investidos na correção dos verdadeiros problemas do nosso país, que são o analfabetismo, a deficiência da educação, a precariedade na saúde, a ausência de saneamento básico e a devastação da Amazônia.
Joaquim Francisco de Carvalho (Rio de Janeiro, RJ)


Igualdade social
Parabenizo Tabata Amaral pelo texto "Se intolerância é regra, serei exceção" (Cotidiano, 10/2). Sua posição proativa em favor do Brasil é melodia suave e repousante aos ouvidos tão maltratados por dissonâncias estridentes de radicalismos estéreis, que não levam a nada. O Brasil precisa de líderes equilibrados, como ela, que invistam em planejamento e em propostas que levem a melhorias na educação, na saúde e na segurança pública e, principalmente, que promovam mais e mais a igualdade social.
Vital Pedro Conrado (São Bernardo do Campo, SP)


Deprimida
Solicito a gentileza de não mais incluírem o Cotidiano no primeiro caderno. Entendam o porquê: nasci no pós-Guerra, sofri as agruras da ditadura militar, vivi o sonho da estrela e hoje, aos 70 anos, decidi inverter a ordem da leitura. Leio primeiro o Cotidiano e depois a Ilustrada. Com Cotidiano no primeiro caderno, não consigo resistir e leio Poder. Fico deprimida com tudo o que está ali sobre os personagens da atual história do país. Vamos combinar?
Elizabeth Bernardo de Carvalho (São Vicente, SP)


Nome aos peixes
Sensacional o artigo "Pescando um ministério" (Tendências / Debates, 9/2), de Rogério Cezar de Cerqueira Leite. Sem citar um nome sequer, fez um quadro do ministério e do governo de Bolsonaro. É para colocar num quadro e ler todos os dias. Genial!
Therezinha Lima e Oliveira (São José dos Campos, SP)


Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br​​. ​  

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.