Finalmente a Folha reconhece algo já sabido, diz leitor sobre editorial 'Bolsonaro mente'

Leitores comentam editorial publicado em 24 de maio

Editorial

“Bolsonaro mente” (Opinião, 24/5). Finalmente a Folha reconhece algo já sabido por muitos há muito tempo. O excelentíssimo presidente mente e mente descaradamente. Espero que daqui alguns dias o jornal também não se omita em declarar que estamos sob um governo neofascista de extrema direita, ao contrário do que ordenou durante as eleições.

Matheus Freire Barros (Palmas, TO)

Todos os políticos mentem. Alguns mentem para proteger ideais. Alguns mentem para proteger a si mesmos. E alguns mentem tanto, e tão consistentemente, que acreditam em suas próprias mentiras. Mas Bolsonaro não está em nenhuma dessas categorias. Ele mente porque é um psicopata. Frustrado em sua pífia carreira militar, frustrado em sua medíocre atuação como deputado e possivelmente frustrado em outros aspectos pessoais

Ivan Zacharauskas (Campinas, SP)

Parabéns à Folha pelo corajoso e lúcido editorial! Que seja seguido por outros e pelos demais veículos de mídia que se pretendem sérios, até que toda a ópera-bufa a que estamos submetidos seja desmascarada. A reunião envergonha a todos e expõe a incompetência de um desgoverno grotesco à deriva em plena pandemia. Que o Procurador-Geral da República se mostre à altura do cargo que ocupa!

Antonio Lima (São Paulo, SP)

A Folha julga sem qualquer critério que não seja o de sua covarde ideologia. Longe de buscar a verdade, deseja apenas agredir e adular um nicho de leitores. Vamos deixar de desfilar ódio e, verdadeiramente, trabalhar pelo país. Aqui tem muita teoria e poucas ações.

Marcos Serra (Porto Alegre, RS)

Não poderíamos esperar outra coisa do editorial da Folha. Nem precisam de qualquer prova para condenar Bolsonaro. Já fazem isso todos os dias. O presidente mostrou ser autêntico, contra a corrupção e a favor do povo carente. Trabalhem honestamente. O vídeo só ajudou o presidente.

Rogerio Nascimento (Rio de Janeiro, RJ)

O presidente Jair Bolsonaro fala sobre o vídeo da reunião ministerial de 22/4 - Pedro Ladeira/Folhapress

Palavrões na reunião

Quanta grosseria. Não entendo como alguém se sujeita a ser ministro de um chefe como Bolsonaro. Se fosse na iniciativa privada já teria perdido a equipe e o emprego. O povo brasileiro não merece um casca grossa desses.

João Batista de Junior (Brasília, DF)

Surpreendi-me com o destaque dado aos palavrões ditos na reunião ministerial, como consta na primeira página de 23/5. Na Folha, há colunistas/jornalistas que usam palavrões e, por esse motivo, venho reduzindo a leitura do jornal aos sábados e domingos. Falar e escrever palavrões não significa ser progressista —pelo contrário, exibe postura conservadora.

Paulo Cesar Ribeiro Galliez (Rio de Janeiro, RJ)


Fábio Wajngarten

Em 500 dias, ninguém ficou para trás” (Tendências / Debates, 24/5). Em que planeta vive o senhor Fábio Wajngarten? É estarrecedor testemunhar a cegueira e a falta de dignidade de quem faz e diz o que é preciso para não perder seu posto. Bajulador, desumano, insensível. É abjeto.

Sandra Guardini Vasconcelos (São Paulo, SP)

A única coisa positiva do artigo do Fábio Wajngarten foi sua publicação na Folha, reconhecendo assim seu pluralismo e credibilidade enquanto jornal. No mais, “elogio em boca própria é vitupério”.
Luiz Manoel Gomes Junior (Barretos, SP)

Entendo a postura da Folha em garantir a pluralidade de ideias. Ainda assim não consigo compreender a razão pela qual é dado espaço a Wajngarten. Em seu artigo, o leitor é atirado a um mundo paralelo em que tudo estava (e está) bem e o governo combate a pandemia. No fim, como não poderia deixar de fazer como integrante do governo Bolsonaro, ele ataca a mídia. Acho que é preciso reavaliar o espaço dado a esse senhor e a outros integrantes do governo com urgência. Não contribuem para o debate.

Jaime Magalhães Machado Júnior (Limeira, SP)


Meio ambiente

Um governo em que o ministro do meio ambiente tem como objetivo destruir o meio ambiente (“Salles diz que passar a boiada é atualizar normas de ministérios”, Ambiente, 24/5). Onde mais no mundo já se viu uma aberração dessas? E não, “ministro”, você não se referiu a todos os ministérios, no vídeo você diz claramente. Acha que todo mundo vai cair em suas mentiras sórdidas?

Jenny Gonzales (São Paulo, SP)

Ministro Salles, você acredita que engana quem? Qualquer homem mediano sabe exatamente o que estava falando. Nem precisava ter o vídeo para provar o que todos já sabem: que você é o ministro da destruição do meio ambiente. Espero que seja punido por isso.

Lucinio Nones (Blumenau, SC)

Covid-19

“O pesadelo” (Ilustrada, 24/5). Parabéns, Drauzio Varella, pela coluna e pela honestidade em reconhecer a análise equivocada inicial. Estamos vivendo um pesadelo que parece não ter fim. Acordamos e ele não termina.
Moises de Melo Santana (Recife, PE)

Como sempre, Dr. Drauzio nos brinda com um excelente texto.
Diva Negri (Florianópolis, SC)

Engraçado que enquanto o mundo inteiro busca a cura da Covid-19 o nosso presidente quer enganar o gado com cloroquina. Se funcionasse, a humanidade toda não estaria nessa situação. Patético e desesperador.

Ligia Siqueira Tavares (Florianópolis, SC)


Cozinha Bruta

Parabéns a Marcos Nogueira pela coluna de 23/5 (“Primeiro a gente tira o boçal, depois faz churrasco”, Corrida). Bolsonaro está queimado. A chapa esquentou e o desgoverno deve ir para o lixo. Depois da pandemia e da saída de Bolsonaro, topo o churrasco e levo o vinho!

Ricardo Osman Gomes Aguiar (São Paulo, SP)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.