Americanos começaram a reparar o erro pelo voto, diz leitor

Leitores comentam vitória de Joe Biden nos EUA

Biden presidente

Joe Biden derrota Donald Trump e freia onda populista nos Estados Unidos” (Mundo, 8/11). Os eleitores americanos começaram a reparar o erro pelo voto. Que sirva de exemplo ao Brasil. O mundo precisa de lideranças que promovam o diálogo, cumpram seus deveres e respeitem os direitos essenciais da sociedade, da economia, da ciência e do meio ambiente.

Wagner Fernandes Guardia (São Vicente, SP)

*

A democracia ainda suspira e deu seus sinais de que bate forte. Americanos colocaram um ponto final no negacionismo, no conservadorismo e no pseudofascismo de quatro anos na Casa Branca. A vitória de Biden mostra ao mundo que não há mais espaço para intolerância, eugenismo e racismo. As democracias do mundo moderno tiram uma lição bastante clara com o resultado: somente o voto, a liberdade de expressão e a soberania popular que constroem um mundo mais humano, fraterno e justo.

Marcelo Rebinski (Curitiba, PR)

*

O freio na onda populista no mundo é o mais importante nessas eleições. Um marco que terá consequências fundamentais para a humanidade.

Paulo Augusto Haddad Bittar (São Paulo, SP)

*

Republicano se recusa a aceitar derrota, e equipe contesta 600 mil votos” (Mundo, 8/11). A reação de Donald Trump frente aos resultados das eleições, o que será ridicularizado mundialmente, será muito importante para desqualificar o discurso de Jair Bolsonaro de questionar, de antemão, a licitude das eleições sem qualquer evidência.

Virgilio Rocha de Souza Lima (Itaúna, MG)

*

Em discurso da vitória, Biden prega cura e restauração da alma dos EUA” (Mundo, 8/11). O meu sonho é que em 2022 o discurso do presidente eleito no Brasil tenha a mesma essência da proposta de Joe Biden, ou seja: de reconstruir a economia, governar para todos, erradicar o racismo sistêmico, combater a crise climática,
unir o país e curar a alma da nação.

Ricardo Joaquim Barbosa (São Paulo, SP)

*

Nos EUA, a direita conservadora não quer aceitar a eleição de Joe Biden. Aqui, a esquerda criminosa ainda não quer aceitar a eleição de Jair Bolsonaro.
A democracia está em crise?

André Coutinho (Campinas, SP)

Já vai tarde

O editorial “Já vai tarde” (Opinião, 8/11) foi magnânimo em sua análise sobre a nocividade e as consequências decorrentes da atuação falastrona dos governos irresponsáveis.

Gilberto Pedroso da Rocha (Botucatu, SP)

*

Parabéns à Folha pelo editorial, que, com certeza, entrará para a história. Parabéns pelas palavras diretas, imediatas e claras.

Kelly Passos (São Paulo, SP)

*

Excelente editorial, era tudo aquilo que eu queria ler. Desentalou da minha garganta.

José Ingenieros Pinheiro Moura (Vila Velha, RO)

*

Apesar de estar torcendo pela vitória de Joe Biden, acho que este posicionamento de um veículo de comunicação não coaduna com um meio de comunicação isento e confiável. Como leitor, eu gostaria de ter uma informação de forma mais distanciada, com visões dos diversos
segmentos. Falta isenção e respeito.

Harry Rutzen Junior (Blumenau, SC)


Moro e Huck

Moro e Huck negociam aliança para disputa da Presidência em 2022” (Poder, 8/11). Sejam bem-vindos. Qualquer cabeça mais arejada e sensata será uma luz nessa escuridão em que o país se meteu.
O ex-juiz Sérgio Moro é o único brasileiro que, de fato, mudou
nossa triste história de corrupção.

João Aris Kouyoumdjian (São José do Rio Preto, SP)

*

Num país que parece carecer de heróis de tempos em tempos, a provável dobradinha entre o apresentador da principal rede de tevê do país e o outrora justiceiro do lava-jatismo deixa claro que não aprendemos, infelizmente, com os “heróis” Collor de Mello e
Messias Bolsonaro.

Roberto Nascimento Anastácio (Rio Grande da Serra, SP)

*

Onde que Moro e Huck são centro e não direita? Huck apoiou PSDB e todo dia apaga uma foto com algum reacionário envolvido em escândalo. Não é porque estamos sendo governados por uma direita quinta série que os demais personagens
da direita deixaram de sê-la.

Elena Wesley (São Gonçalo, RJ)

*

Qualquer um que assumir a Presidência da República terá que governar com um congresso Nacional corrupto, apodrecido e desqualificado. Mesmo que tiver alguma boa intenção, nada de positivo dará resultado. O sistema eleitoral brasileiro é programado para dar errado. Nunca
seremos uma nação de verdade.

Eduardo Freitas (São Paulo, SP)


Mulheres e Justiça

“Mulheres que fazem denúncias relatam machismo da Justiça” (Cotidiano, 7/11). Que relatos revoltantes. De que adianta ter as leis se as pessoas que devem aplicá-las são corrompidas e as usam contra as vítimas ou negando os recursos previstos? Misoginia, machismo e preconceitos arraigados
nos juízes, juízas e demais representantes da Justiça brasileira.

Bianca Moreira (Brasília, DF)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.