Descrição de chapéu Eleições 2018

Em caravana, Kátia tenta reduzir resistências a Ciro

Senadora fará corpo a corpo em cidades onde candidato apresenta dificuldades eleitorais

Gustavo Uribe
Palmas

Com resistências regionais, o candidato do PDT à sucessão presidencial, Ciro Gomes, será representado por sua candidata a vice-presidente, a senadora Kátia Abreu (PDT-TO), em cidades em que tem encontrado dificuldades eleitorais.

Em tentativa de alavancar o desempenho dele, hoje estagnado em 10% das intenções de voto, ela iniciará uma caravana de viagens, a partir da próxima semana, em que fará corpo a corpo com potenciais eleitores.

O foco inicial do périplo, que será feito em paralelo à agenda de campanha do candidato, será municípios com tradição agropecuária. O setor ruralista apresenta hoje uma maior simpatia pelas candidaturas de Jair Bolsonaro (PSL) e Geraldo Alckmin (PSDB).

A senadora foi por três mandatos presidente da CNA (Confederação Nacional da Agricultura) e tem costurado apoios ao candidato tanto no agronegócio como no mercado, tentando amenizar o temperamento inconstante do candidato.

O candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) ao lado da senadora e candidata a vice-presidente de sua chapa, Kátia Abreu (PDT-TO)
O candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) ao lado da senadora e candidata a vice-presidente de sua chapa, Kátia Abreu (PDT-TO) - Evaristo Sa - 06.jul.2018/AFP

“Ela viajará a várias cidades do país com potencial para o setor que ela tem afinidade, que é exatamente o do agronegócio”, disse o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi.

A senadora começará a caravana pelo Sudeste, região em que Ciro aparece atrás nas pesquisas eleitorais tanto de Jair Bolsonaro (PSL) como de Marina Silva (Rede). Ela visitará, por exemplo, Ribeirão Preto, Barretos, Campinas, Uberlândia, Uberaba e Montes Claros.

“A gente tem de ir atrás das pessoas. Eu tenho de bater na porta delas e levar as propostas do Ciro”, disse Kátia à Folha.

A agenda de viagens foi combinada entre Ciro e Kátia na semana passada, durante visita do candidato ao Tocantins. A expectativa é de que ela tente fazer, em um mesmo dia, de duas a três cidades. As conversas com os eleitores serão gravadas e devem ser usadas em vídeos para as redes sociais.

Além do Sudeste, a senadora visitará o Centro-Oeste, região considerada o celeiro agrícola do país e onde Ciro tem seu pior desempenho eleitoral. Segundo o Datafolha, enquanto no Nordeste ele apresenta 14%, o percentual cai para 5% na região, ficando também atrás de Bolsonaro e Marina.

PILLAR

A decisão para que a senadora adote uma agenda de viagens também tem como propósito aumentar a divulgação da candidatura diante do pouco tempo de propaganda televisiva. O horário eleitoral gratuito terá início na sexta-feira (31).

Com o apoio apenas de um partido nanico, o Avante, o candidato terá apenas 38 segundos a cada bloco fixo de 12 minutos e 30 segundos e uma inserção de 30 segundos a cada dia.

A inserção, chamada de spot, é uma peça de campanha veiculada das 5h às 00h, diariamente, nos intervalos comerciais das emissoras de televisão.

Os primeiros programas mostrarão a trajetória política de Ciro, imagens dele com a família e apresentarão o programa “Nome Limpo”, que propõe limpar o nome dos brasileiros endividados.

A equipe de campanha cogitou convidar a atriz Patrícia Pillar, ex-mulher do candidato, para gravar um vídeo para a propaganda eleitoral ou para fazer a narração do programa do candidato.

Com o receio de que possa haver restrições da Rede Globo, a intenção foi abandonada. Segundo a Folha apurou, Pillar, que já declarou voto em Ciro, tem organizado um encontro do candidato com artistas e intelectuais, no Rio de Janeiro.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.